Instabilidade na economia movimenta o turismo pela América Latina

Dólar alto e crise financeira intensificaram a procura por viagens para os principais destinos turísticos pelo Brasil e países vizinhos

Praia de Jabaquara em Ilhabela — São Paulo

Um dos assuntos mais noticiados durante o ano de 2016 foi a crise financeira que desacelerou a economia do país. Combinada à instabilidade política, a retração do mercado teve reflexo em diversos aspectos na vida dos brasileiros, que se viram sem opções senão reduzir seus gastos, inclusive na hora de escolher os destinos turísticos e até mesmo as formas de viajar durante as férias. Uma tendência que ganhou força foi a procura por destinos mais próximos.

Cristo Redentor — Rio de Janeiro

Pontos turísticos por todo o Brasil, bem como cidades turísticas da América do Sul ganharam destaque nas procuras em sites de viagens. Um levantamento realizado pelo site de busca de viagens Skyscanner mostrou um crescimento significativo nas buscas nacionais. Entre os destinos mais procurados no site, há destaque para Fernando de Noronha, que bateu recorde de visitações no ano de 2015; Santa Catarina que teve aumento de 44% nas buscas; Sul da Bahia com crescimento de quase 25% em buscas; Bonito, no Mato Grosso do Sul que teve 67% de sua rede hoteleira ocupada no último ano; e Rio de Janeiro que, além de ser a cidade turística mais requisitada tanto pelos brasileiros como pelos estrangeiros, teve seu ápice turístico durante os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Voo de asa delta na Pedra Bonita — Rio de Janeiro

A preferência por destinos nacionais reforça os dados levantados pelo Ministério do Turismo que mostram que, entre os brasileiros que pretendem viajar nos próximos meses, quase 90% o farão para destinos domésticos. Segundo o CEO da plataforma de vendas de passagens online ClickBus, Cesário Martins, é possível perceber que apesar da crise, os brasileiros têm se mostrado dispostos a viajar, mas estão buscando novas formas de reduzir os gastos.

Outro dado que revela a mudança nos hábitos turísticos são as formas de transporte. De acordo com a ClickBus, a procura por viagens de ônibus teve grande crescimento entre os turistas, até mesmo para viagens internacionais. Segundo a empresa, as vendas de suas rotas na América Latina tiveram aumento de 100% se comparadas com a procura para esses destinos durante o ano anterior. A principal razão para a maior procura é o valor pago nas passagens.

Dependendo da rota, o custo de uma passagem de ônibus pode chegar à metade do valor de uma passagem aérea. Apesar do tempo de deslocamento ser maior se comparado a uma viagem de avião, os ônibus ganharam a simpatia daqueles que dão prioridade à economia, além disso, atualmente os veículos já contam com comodidades que viabilizam percorrer longos trajetos, como poltronas reclináveis, serviço de bordo e até mesmo WiFi.

A diferença entre os valores de passagens de ônibus e avião são ainda maiores se a data escolhida para viajar é durante os meses de férias, como novembro e dezembro. A ideia de descansar e renovar as energias durante as férias pode ficar um pouco mais complexa se os planos incluírem um voo para os destinos mais disputados para o fim de ano. Em trechos como São Paulo/Florianópolis, ida e volta de avião podem chegar a custar cerca de R$1.100,00 enquanto o mesmo trajeto de ônibus custa em torno de R$260,00.

Entre os países mais procurados da América Latina estão a cidade de Buenos Aires na Argentina, que conta com atrações como o Caminito, o estádio La Bombonera e o Cemitério da Recoleta; a capital do Chile, Santiago, convida a uma visita ao cerro San Cristóbal de onde é possível ter uma visão panorâmica da cidade, o Palácio de la Moneda e a Plaza de las Armas; No Paraguai, a capital Assunção é destaque, com o bairro turístico Lomma San Jerónimo.

A estudante yasmim Euzébio em Ilhabela

Pacotes que oferecem passagens de ida e volta e estadias que chegam a custar menos de R$70,00 por dia foram o que determinaram a escolha de Yasmim Euzébio por uma viagem à Ilhabela, em São Paulo, a estudante do curso de Administração da UFRGS conta que queria viajar sem gastar muito. “Além de me proporcionar um contato com a natureza, eu conheci um lugar lindo e gastando pouco. Vou voltar para casa leve, sem me preocupar com as dívidas contraídas na viagem”. Já a veterinária Rayra Corrêa considera, além dos custos, comodidades como menor tempo do traslado que possibilita planejar viagens com duração de dois a três dias.

Black Firday Tur

Não apenas a disparada da moeda norte-americana teve influência na preferência por viagens domésticas, outro costume do país que elegeu Trump que levantou as vendas foi a recente Black Friday. Destinos como Ilhéus (BA), Litoral Norte (SP), Gramado (RS), Fortaleza (CE), Região dos Lagos (RJ), Foz do Iguaçu (PR), e Natal (RN) registraram crescimento de até 205% na procura através da agência online de turismo Hotel Urbano. A plataforma que ofereceu descontos de até 40% durante o mês de novembro teve as expectativas de crescimento médio de 115% superadas, tendo 80 destinos registrando alta superior a 135%. Somente as transações em destinos para o litoral nordestino correspondem a um valor superior a 1 bilhão de reais. “O turismo interno é a bola da vez no nosso mercado”, afirma o cofundador e diretor comercial do Hotel Urbano, Antônio Gomes.

Fotos: Christinne Rossi