sempre que escrevo é sobre você.

tão imensamente imerso em mim,
cheio de encantos e sorrisos e toques,
tão infinito em seu próprio universo.

luz nas noites mais escuras –
vontade incessante de te adentrar
e explorar teus oceanos 
e viver dentro do teu corpo
que é meu lar

escuto teus mais doces sussurros
e os tenho como mantra –
tua voz é oração 
que rezo antes de dormir –
e zelo com meu manto
o puro encanto de te ter

escrevo sobre o que sinto a cada instante de respiração simultânea,
sobre entrega completa da alma,
sobre te amar por inteiro.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.