que seja real

Que o amigo de hoje nunca seja o estranho de amanhã. Que a companhia, doce e agradável de agora nunca seja o desafeto de amanhã. Que o abraço tão sonhado e esperado não seja a pior das presenças de amanhã. Que o sonho valorizado intensamente hoje não seja o pesadelo que desperta calafrios amanhã. Que os calafrios que, por agora, são reflexo da chegada de quem tanto se quer, não sejam a memória nos lembrando do medo, incontrolável, de ter aquela pessoa perto outra vez. Que todas as chegadas sejam sinceras e que você seja sempre inteiro, de coração. Que o medo seja apenas aprendizado e que a timidez se ausente. Que o amor… Ah! Que o amor tenha esperança e espaço — aí em você e, aqui, em mim-.

Like what you read? Give Cíntia Tavares a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.