Um hectare de palheiro e uma agulha perdida


Algumas pesquisas já foram feitas indicando que quanto maior o grau de escolaridade da mulher, maiores as chances de serem solteiras. Quando li essa matéria em meados de 2012, um período em que eu havia acabado de largar uma faculdade e começava outra, achei na minha inocência que isso era uma opção feminina para focar na carreira. Hoje graduada, tendo estudado no exterior e terminando uma pós-graduação e solteira, percebi que simplesmente as mulheres não querem casar, ou quando casam muitas vezes ficam infelizes, porque a maioria dos homens não possuem a capacidade de lidar com mulheres inteligentes.

Não achem que estou sendo soberba me achando um Einstein, por favor, mas a probabilidade de você conhecer um homem de mesmo nível sociocultural que não crie uma rixa intelectual contigo, é como catar uma única agulha em um hectare de palheiro. Há uma necessidade masculina em reduzir mulheres a peitos, bundas e companhias em eventos sociais, quando eles descobrem que – Nossa, uau! – existe um cérebro que não vai engolir desculpas esfarrapadas, mentiras descaradas e falta de respeito, eles partem para a manipulação.

Existe um misticismo que toda mulher busca um namorado, um casamento… por mim, posso dizer que busco um companheiro, que é algo totalmente diferente de qualquer um desses rótulos comuns para relacionamentos. E vocês, homens, em sua maioria, simplesmente não sabem diferenciar. Eu não sou a louca que acha que porque transamos, devemos casar. Eu sou a pessoa impaciente com homens que acham que o mundo gira ao redor deles e que podem, simplesmente, me encaixar em seus horários livres de tédio. Eu tenho uma família, eu tenho um trabalho, eu tenho os meus estudos, eu tenho o MEU tempo também, que não pode – apesar da minha natureza trouxa – sempre ser alterada pra se encaixar na sua agenda e na sua boa vontade.

Companheirismo, que é o que procuro e não nego a ninguém, é ter alguém ao lado que saiba o equilíbrio: eu não posso ceder sempre, o outro não pode ceder sempre. Podemos juntos, acordado quando se é de boa vontade de ambos, chegar em um consenso. E isso é o tipo de característica que se pode notar já no início de qualquer relação, então por favor, não comecem a estratégia de manipulação em fazer a mulher se sentir culpada quando ela sabe exatamente o que quer, você não se encaixa e, ela resolve pular fora. Se você se acha o máximo, sinto lhe dizer, o primeiro critério pra ficar comigo é me respeitar. Se você já chegou aos 30, aos 40 ou aos 50 sem entender isso e que namoro/casamento é totalmente diferente de companheirismo/ parceria, isso explica porque você provavelmente já foi casado e hoje é separado de uma mulher bem sucedida. Provavelmente sua ex-mulher encontrou a agulha no palheiro, enquanto você ainda acha que relacionamentos são jogos.

O que posso dizer quanto a isso? Simplesmente um “Boa sorte na sua velhice”. Uma hora você passa da faixa do Tinder, que vai até só 49 anos, uma hora o sexo com você não será o principal fator de atração, uma hora o que restará de bom em você que não aprendeu até hoje o que é respeito, companheirismo e parceria, será o dinheiro. E eu tenho as minhas dúvidas sobre quão agregadores serão os relacionamentos com as mulheres que você irá atrair.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.