Uma breve introdução
Diário de um observador passivo
101

alo giulio, como primeiro interlocutor, fico animado com a conclusão básica do seu primeiro post. Uma experiência pessoal minha para confirmar vossa tese. Algo que me guia há um bom tempo, mas que tornou-se agudo nos últimos 3 anos, quando a vida deu uma guinada: a incerteza. Me identifico com o caráter subjetivo de sua iniciativa e ouso dizer (com alguma certeza,rs) que a incerteza é uma grande libertação para um universo muito mais amplo de questionamentos e possibilidades. Fiquei mais confortável quando descobri que podia viver com ela sem stress. E a incerteza tornou-se minha aliada para o meu dia-a-dia. Uma vez que tudo é incerto vc inevitavelmente revê suas expectativas em relação a tudo e a todos, e passa a navegar de maneira mais serena. E para o trabalho especificamente, uma flexibilidade criativa como nunca tive antes. Certezas no final das contas, nos aprisionam. Como seguir pela estrada sem isso? intuir e confiar. Mais imputs sobre a incerteza e a impermanência de tudo? Lao Tsé, o cabra do Tao,,,,,Congrats pelo seu movimento, tamo junto

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Ciro Girard’s story.