Aprende a respirar

Tantas coisas aconteceram que eu não sei como colocá-las em um papel (ou uma tela de computador). Minha vida têm caminhado de uma forma totalmente diferente do que um dia eu esperei, não imaginava que teria que viajar durante horas para ver a minha família. Não imaginei que ficaria longe de tudo que conheço, estaria morando em uma cidadezinha do interior, teria que conhecer várias pessoas novas de lugares diferentes que talvez estejam tão perdidas quanto eu e apenas não enxergam o todo. Nunca imaginei que minha casa em que cresci, seria para meus momentos de férias, e que um apartamento que nem é meu, seria onde eu passo a maior parte de meus dias. Nunca imaginei que um dia poderia não me sentir em casa em minha própria casa, e também nunca imaginei que poderia ser tão resiliente para começar a me sentir em casa em dois lugares ao mesmo tempo. Lar é aquele lugar onde seu coração está, e o meu tem estado dividido, dividido entre dois lugares totalmente diferentes e ainda esparramado pela mesma estrada que cruzo sempre. Um lar sempre foi meu lar e pude perceber isso depois que tive que deixá-lo, o outro, eu aprendi a encarar como lar. Eu não imaginei que sentir saudades fosse tão doloroso, e então entendi que nunca precisei sentir saudades até agora. Há um acúmulo e mistura de sentimentos que eu nunca senti até a vida me empurrar para uma piscina - que não dá pé — cheia deles e dizer, “aprende a respirar debaixo d’água”.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.