O que são vícios emocionais?

Assim como há os vícios químicos que causam dependência do álcool, cigarro e drogas, possuímos vícios emocionais. Buscamos reproduzir atitudes que fazem nosso corpo produzir quimicamente algumas emoções negativas, isso ocorre porque ganhamos algo em troca, como por exemplo adrenalina.

Todos somos viciados emocionalmente em algo, em maior o menor escala, porém para descobrirmos no que somos viciados, precisamos desenvolver nossa Inteligência Emocional.

Existem pessoas que são viciadas em problemas, procuram uma adversidade mesmo que tudo esteja bem. Diante dos problemas o corpo produz cortisol, então o vício é satisfeito, até começar novamente todo o processo ao procurar outro problema, gerar estresse e produzir cortisol.

“Há viciados em confusão, em briga, em solidão, em perder dinheiro, em ser abandonado, em ser traído ou em ser humilhado. Para cada variação emocional e sentimental, existe uma combinação de hormônios e neuro-hormônios” (Paulo Vieira).

Quem vive recomeçando, pode estar viciado em fazer isso sempre. Cai e levanta constantemente, provocando autossabotagem para manter o vício, o qual pode ter sido aprendido na infância.

Aqueles que não se acham merecedores dos seus ganhos, costumam trabalhar mais e ganhar menos a fim de manter o vício da não suficiência e da não recompensa.

É necessário eliminar os sentimentos tóxicos e para isso é preciso identificar os padrões de comportamento viciantes, bem como seu início que pode ter ocorrido na infância ou na adolescência por interferência dos pais, da família ou de pessoas próximas.

Enquanto não descobrimos como lidar com nossos vícios emocionais, podemos dar comandos mais produtivos ao cérebro que por sua vez, se obrigará a produzir testosterona, o hormônio da confiança, no lugar do cortisol.

A psicóloga social Amy Cuddy apresentou estudos sobre a linguagem corporal, comprovando cientificamente que somos capazes de nos sentirmos mais seguros quando obrigamos nossa mente a moldar nosso corpo, nos colocando em posturas positivas que demonstram confiança e poder. Para a pesquisadora “Há evidências de que a linguagem corporal pode governar nossos sentimentos e pensamentos sobre nós mesmos”.

Vale a pena pesquisar sobre este assunto e trabalhar em si mesmo para gerar emoções positivas, pois estas sim poderão te conduzir para a prosperidade!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.