Eu resolvi me escolher.

Durante anos e anos você tenta se fazer melhor pra alguém mas parece que por mais que tente não é o suficiente e isso passa a lhe consumir e levantar vários questionamentos.

Não falo somente em campo amoroso mas campos sociais, quantas vezes aquele seu “amigo” lhe colocou pra baixo ou aquele seu parente que você tanto amava era simplesmente um aproveitador mas mesmo assim você resolvia insistir por que aquilo era certo e até então era resolvível pra você?

Mas uma hora ou outra cansa: você descobre que não dá mais pra viver debaixo do mesmo teto que alguém de seu convívio diário, viver em um relacionamento abusivo ou onde pessoas que não agregam nada na sua vida.

E daí você percebe que não tem mais psicológico suficiente pra lidar com tanta ausência de energia positiva e só então que, mesmo que aos poucos, reconstroi seu ciclo social.

Pode até soar ingratidão ou loucura mas é o mais puro e bom sentido da palavra egoísmo: saber se por diante de energia positiva, de gente empática, de gente que ama.

Porém nada é tão importante quanto se escolher, se amar e como diria aquela música clichê de Anavitória: “Me refazer longe de você”.