Eu sou o pior homem do mundo

por Claus Nardes

É isso mesmo, eu sou o pior homem do mundo.

Sou brocha, tenho o pinto pequeno, estou barrigudo, fora de forma, careca, financeiramente falido, desempregado, com problemas amorosos, respondendo processos na justiça, com várias multas por aí, solitário e pasmem… agora preciso de Jesus.

Ao abrir meu e-mail, me sinto esse cara, sem perspectiva nenhuma de uma vida razoavelmente saudável ou digna, ou seja, minha vida, virtualmente falando, deve ser uma merda. É tão deprimente ser “eu” abrindo o e-mail e vendo os tópicos “spamtosos”, que logo me pego procurando algum spam que me ofereça um lexotan divino (e natural, diga-se de passagem) qualquer. Por esse dias ri muito, pois como sou brocha e tenho meu pênis inferior ao padrão pornográfico, como então eu poderia marcar um encontro com duas morenas da minha região? E o pior, como eu vou poder bancar tal encontro, se o meu cartão de crédito foi cancelado? Como eu irei ao encontro, se não posso sair de casa sob o risco de ser preso e o meu carro ser tomado de volta pela financiadora, uma vez que minhas parcelas estão atrasadas e meu nome já está no SERASA? Como em nome de Jesus…

Pera aí, Jesus? Sim, Jesus.

Agora eu também sou procurado por uma tal Igreja dos Apóstolos do Apocalipse. Estava lá, assim: “Sua dor e sofrimento pode acabar, conheça a igreja dos apóstolos do apocalipse”. Ok, recebi um email desses, pois alguma divindade deve ter achado que eu saí com as duas morenas, não paguei meu carro, dei calote no banco, usei o CPF de alguém para compras indevidas, fui contra a natureza ao deixar o Kid Bengala no chinelo, por tomar anabolizante de algas marinhas do Mediterrâneo e por usar um Lexotarja que os cientistas e a mídia não querem divulgar.

De desgraçado a pecador boa vida, em apenas um click.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.