Novas regras de bagagem: como funcionam?

O primeiro pensamento é sempre “vou viajar, oba!”, mas agora automaticamente o segundo é “como vou fazer para despachar as malas?”. É que recentemente as companhias aéreas brasileiras mudaram as suas regras quando o assunto é bagagem e, para esclarecer essas mudanças e indicar a melhor opção para cada perfil de viajante, separamos algumas informações básicas e dicas úteis que todo mundo precisa saber.

O fim da franquia obrigatória de bagagem despachada em voos nacionais e internacionais gerou muita polêmica nos últimos tempos. O volume das bagagens era regulado pela Anac e permitia uma mala de 23 kg (em voos nacionais) e 2 malas de 32 kg (em voos internacionais).

Agora, as companhias estão autorizadas a cobrar pelo despacho da bagagem, com critérios e valores a serem definidos por cada companhia aérea.

A bagagem de mão costumava ser uma mala pequena de até 5 kg + volume de mão — bolsa, mochila ou sacola. Agora, a bagagem que pode acompanhar o passageiro no avião pode ser de até 10 kg + volume de mão, que continua o mesmo.

Apesar de polêmico, esse modelo de despacho de bagagem já é adotado em vários lugares do mundo e, segundo a Anac, isso pode levar a uma queda nos preços, além da possibilidade de criação de novas companhias low cost no Brasil.

Vale ressaltar que cada companhia é responsável pelas suas próprias regras de cobrança, incluindo as tarifas relacionadas a excesso de bagagem. E você, o que acha das novas regras?