NEW ORLEANS SAINTS — parte 1

  • Análise e previsão para a temporada 2017.

Eu não sou mãe dináh, mas eu apostaria em um cenário otimista para a temporada regular que se aproxima 9–7. A divisão do NO, a NFC South, é bem complicada, mas a nossa casa vai fazer a diferença e com a melhora da defesa, podemos lutar com muito sacrifício contra nossos rivais.

1- Os nosso maiores rivais, o Atlanta Falcons não precisa de apresentação, com seu ataque devastador. Matt Ryan e Julio Jones provavelmente formam uma das melhores duplas QB/WR da liga e Devonta Freman/Tevin Coleman fazem muito bem o papel no jogo corrido. Todos os analista esperam uma queda de rendimento como aconteceu com os Panthers. Eu não descartaria outro boa campanha.

2- Nossa segunda pedra no sapato, o Carolina Panthers. Eu particularmente não gosto de Cam Newton, não no sentido de achar ele um jogador ruim. Diante de suas provocações e principalmente pela sua postura nos últimos jogos. A relação dos torcedores dos saints com o QB falastrão não é das melhores. A defesa é o ponto mais forte, com a excelente dupla de LB Thomas Davis/Luke Kuechly atormentando a vida do nosso sagrado Drew Brees com as fake/late blitz.

3- O patinho feio das últimas temporadas, antes saco de pancadas, agora desponta como um dos times mais promissores da divisão. O tampa bay Buccaneers vê em James Winston seu franchise player, o QB que levaria o time para outro patamar na liga. E se isso não fosse pouco, Mike Evans é um dos WR mais valorizados da NFL e sua altura dificulta muito o trabalho dos baixinhos da secundária do saints.

Agora que nossos rivais de divisão foram devidamente apresentados, vamos a análise do nosso querido New Orleans Saints.


DEFESA, DEFESA, DEFESA e mais um pouco de DEFESA. A chave para o sucesso na temporada regular é conseguir ter uma defesa pelo menos regular. Nós últimos 3 anos, a situação foi bem complicada. Em 2014, 2ª pior defesa da NFL. Em 201, tomamos incríveis 29.8 pontos por jogo, 2ª pior defesa novamente. Não muito distante, em 2016 tivemos média de 28,4 pontos sofridos por partida, a 6ª pior defesa da liga. Para a temporada 2017 Dennis Allen, efetivado após a saída de Rob Ryan (que deus o tenha!) ainda em 2016, tenta elevar o patamar da nossa defesa. Caso aconteça uma melhora significativa, muito provavelmente teremos um busto para ALLEN em Nova Orleans

Os jogadores de defesa já foram escolhidos, a lista completa está aqui. Não posso começar a análise específica sem falar da importância da offseasson. No Draft deste ano, a prioridade era adicionar um pass rusher que completasse Cameron Jordan e um DB com impacto imediato para jogar do outro lado de Delvin Breaux. O saints possuía duas escolhas de 1ª rodada e na posição de nº11 fez o feijão com arroz, escolhendo o melhor CB disponível, Lattimore. Contudo, na posição 32, o saints escolheu o LT Ryan Ramczyk, uma vez que os defensive lineman de boa técnica já haviam sido draftados.

Assim, coube a época de free-agency para tentar completar as lacunas em aberto. O ex-arizona, Alex Okafor, amigo íntimo de Kenny Vaccaro, veio para ser o “parceiro” de Jordan. A.J Klein veio juntamente com o controverso Manti Te’o. Ambos serão titulares.

A defesa teve boas surpresas individuais e alguns bons projetos para o futuro com destaque na pré-temporada. Bastante modificada, a defesa deu bastante trabalho para seus adversários e não sofreu muitos pontos. O maior exemplo foi o número de sacks (graças a deus!).

Para a temporada de 2017 alguns jogadores defensivos serão indispensáveis para o time subir de patamar:

#44 — Hau’ol Kikahai

Hau’ol Kikahai, o havaiano insano está de volta e os torcedores do saints rezam todos os dias por Ranginui (Rangi) “o Deus do céu e de todos os deuses” para que o camisa #44 permaneça saudável.

Em sua temporada de calouro (2015), ele fez bonito. Jogando de OLB na formação 3–4, foram 52 tackles, 4.0 sacks e 4 Fumbles forçados! Entretanto, sua evolução foi interrompida por uma séria lesão que o tirou da temporada 2016.

Neste ano Kikahai foi movido para DE em formação 4–3, onde atua no lado contrário ao de Cameron Jordan. Com a adição de Alex Okafor e a ascensão do novato AL-QUADIN MUHAMMAD, escolha de 6ª rodada e que foi o líder geral em sacks na pré-temporada, creio que teremos um pouco mais de pressão esse ano.

#98 — Sheldon Rankins
  • A 12ª escolha do draft de 2016, o DT Sheldon Rankins, essa pequenina geladeira de 1,90 m e 135 kg fez bonito na pré-temporada. Após perder boa parte da temporada passada por culpa das lesões, ele vem mostrando uma evolução gigantesca nos jogos de pré-temporada. Em que pese a sofrida ausência do outro DT Nicky Fairley (fora da temporada por problemas no coração), Rankins juntamente com outro jovem Onyemata, terão a responsabilidade de ganhar as batalhas nas trincheiras.
#53 A.J Klein
  • Louco para sair da sombra de Luke Kuechly, o novo LB titular do saints, A.J Klein, chegou e tomou a posição. Mostrando muita inteligência em campo, perde na disputa pela parte física, porém, seu posicionamento e leitura de jogo o tornam indispensável nesse momento de reestruturação. Já é um dos lideres dentro de campo.
#23 Marshon Lattimore
  • Eu sei, ele vem de apenas uma temporada jogando regularmente no college, mas eu preciso ter fé e acreditar que nosso CB, Marshon Lattimore, vai ter impacto imediato em sua temporada de estreia. Com a lesão de Delvin Breaux (movido para IR ) nossa secundária está bastante fragilizada e Lattimore vai ter de amadurecer rápido para conseguir ajudar na marcação dos fortes, Julio Jones e Mike Evans.

Para terminar a análise da defesa, tenho uma menção honrosa para a coragem e o coração de Adam Bighill, o LB com corpinho de DT, tinha tudo para fracassar como jogador da NFL. Seu biotipo está longe do padrão da liga. Contudo, com seu carisma e vontade superou as expectativas. O líder em tackles do saints na pré-temporada, tirou o antigo capitão do special teams MAUTI e acabou com um contrato no practice squad( jogadores que treinam com o time, porém não integram o time principal) podendo ser promovido a qualquer momento.


O ataque vive o outro lado da moeda. O saints é simplesmente o ataque mais temido da NFl. A parceria Drew Brees/Sean Payton desde 2006 é a mais prolífera da NFL quando o assunto é ataque. Drew Brees tem números extraordinários. Ele é simplesmente o 3º em jardas passadas na história da NFL com 66,111 yds e são 5 temporadas superando a marca de 5000 jardas!! O cara é de outro mundo e é questão de tempo para bater o recorde de Peyton Manning( 71,940 YDS)

O backfield foi bem reforçado com a adição de Adrian Peterson RB 2, que vai ser muito importante para dividir as atenções com Mark Ingram, nosso RB1. Ingram, por sua vez, vem de sua melhor temporada com 1,043 yds corridas e 319 yds recebidas, ótimos números. Entretanto, se eu pudesse apostar todas as minhas fichas em um único jogador do saints, para ser o improvável destaque da temporada, eu daria all-in em Alvin Kamara RB3. Ele foi a 64ª escolha do draft, saiu na 3ª Rodada e foi um achado! Pode atuar em um papel que foi de Darrel Sproles ( a formiga atômica) por anos, podendo correr entre os bloqueios e receber passes curtos. Na pré-temporada já deu seu cartão de visitas em um TD de 50 jardas:

Se beber não dirija. WILLIE SNEAD nosso WR-3, foi suspenso por 3 jogos e vai fazer falta. Seu substituto deve ser Brandon Coleman . Sorte dos saints que MICHAEL THOMAS nosso WR-1 é uma máquina de recepções. Está elencado nos Rankings da NFL em um nível 2 de Receivers, logo abaixo das estrelas Julio Jones, AB, OBJ e AJ Green. Ora, ele está apenas em seu segundo ano e tem muito ainda para evoluir. Não é exagero imaginar nosso Thomas como um do TOP-3 nos próximos anos. Drew Brees agradece. Completando o trio, Ted Gin Jr, o experiente WR-2, deverá preencher o buraco de Brandin Cooks, apesar que seu desempenho no special teams vem sendo sua melhor arma. Menção honrosa para a agradável surpresa, Tommylee Lewis de apenas 1,70m, mas capaz de infernizar as defesas com sua velocidade

Na posição de tight ends, Coby Fleener é uma decepção. Suas atuações se resumem a DROPS( quando o recebedor deixa escapar um passe em sua direção) e sumiço em campo. Na minha opinião, só não foi pior que a contratação de Jairus Byrd, provavelmente a pior contratação da história da NFL pelo custo benefício.

Não menos importante nos temos a sempre esquecida LINHA OFENSIVA. Sim, aqueles guerreiros invisíveis, quase anônimos eles também tem coração e são indispensáveis para o ataque. Drew Brees não teria alcançado suas marcas expressivas se sua linha ofensiva fosse uma peneira. Para a temporada atual a linha ofensiva dos saints teve a adição do Rookie Ryan Ramczyk, escolha de nº32 do draft, possivelmente será escalado como LT (o lado cego do QB) substituindo o excelente Terron Armstead (melhor jogador da linha) machucado e sem previsão de volta. Do free agency veio o RG ex-lions Larry Warford, jogador bem regular. Como LG o inconstante Andrus Peat, escolha precipitada de 1ª rodada que ainda não se provou. Como center, temos o experiente Max Unger. Sua chegada sempre é lembrada pelo jogador dado em troca ao Seahawks, Jimmy Graham (saudade!), mas sua chegada colaborou e muito para a melhora no jogo corrido na temporada passada. Na posição de RT o interminável Zach Strief continua a mostrar sua agressividade, vamos ver se sua presença física seguirá em alto nível, vou rezar!

No time de especialistas, o Kicker WILL LUTZ em sua 2ª temporada parece bem confiável, vem de uma temporada 2016 boa e de uma pré-temporada excelente. Acredito que não vamos ter problemas. Thomas Morstead se mantém como um dos melhores Punters da NFL.


NOSSA CAMINHADA

Meus palpites:

Saints vence: Vikings fora; Miami (londres), Lions em casa, Chicago em casa, Tampa bay em casa, Redskins em casa, Rams fora, Panthers em casa, Jets em Casa.

*Escrito por Marvio Guimarães, Coach/Jogador da linha ofensiva do Volta Redonda Falcons (ironia do destino) e Advogado nas horas vagas.