NEW YORK JETS — PARTE 1

  • Análise e expectativas para a temporada.

De um futuro caminho aos playoffs, até ao aguardado first pick do próximo draft. Essa é a história da Gang Green, que iniciou 2015 com uma incrível campanha de 10–6 e só não fomos para a pós temporada devido a erros em momentos decisivos, como no último jogo da temporada regular contra o Buffalo Bills.

Nasce então a esperança de uma futura classificação para a pós temporada do ano seguinte, mas o que a torcida dos Jets não sabia era que o pior estava por vir, e o problema tinha nome e sobrenome Ryan Fitzpatrick. Fitzpatrick se tornou o motivo de uma divisão no vestiário dos Jets. De um lado jogadores que queriam a renovação de contrato de Fitzpatrick como Brandon Marshall, Eric Decker e alguns jogadores do ataque, do outro lado Sheldon Richardson e a defesa que queriam a renovação do time.

GM — Mike Maccagnan

E o final da história todos já sabem, 5–11, jogadores lesionados, vestiário rachado e Salary Cap no vermelho. Sem saída o GM dos Jets Mike Maccagnan resolve “cortar o mal pela raiz” dispensando os principais veteranos da equipe, apostando agora nos jovens jogadores do carente plantel do time.

A única esperança que tenho nesse time para esse ano é a primeira escolha do draft de 2018 e que não tenham uma campanha vergonhosa de 0 -16, mas temos um ponto a destacar nessa equipe, a defesa.


Leonard Willians que a cada ano que passa desenvolve ainda mais seu jogo e com a saída de Sheldon Richardson torna-se peça fundamental da DL dos Jets.

# 33 Jamal Adams

Jamal Adams DB que mal chegou do último draft e já se estabilizou como titular e uns dos líderes dessa defesa. Ele foi escolhido na 6ª posição geral.

#50

O LB Darron Lee escolha de primeira rodada e de nº 20 do draft de 2016, volta para 2017 como titular após David Harris ter sido dispensado.

Um dos poucos remanescentes da era Fitzpatrick e líder absoluto da defesa Mohamed Wilkerson fecha o pequeno momento de orgulho dos Jets, desde sua estreia na liga, Wilkerson já teve 41.0 sacks, 359 tackles combinados e 10 fumbles forçados.


A grande dúvida dessa equipe está na posição de Quarterback, o veterano Josh McCown deve liderar a equipe nesse ano, mas sua função principal é desenvolver os jovens QB, Bryce Petty e Christian Hackenberg, existe quem diga que Hackenberg seja o futuro QB dos Jets. Só que essa resposta só saberemos no final dessa temporada.

Em um resumo posso dizer que nada vai mudar na AFC Leste, New England dominante, Miami Dolphins tentando uma vaga de Wild Card, Bills e Jets disputando a lanterna da conferência, e a esperança de que o futuro nos guardará uma temporada vitoriosa.

J — E — T — S, Jets! Jets! Jets!

*Escrito por Lucas Fonseca