Gervas — origens

Uma biografia mais que autorizada

A gente vive disso: comidas e piadas ❤

Era um belo dia da Copa de 2014. Sim, antes do 7x1. Foi assim que a Alê conheceu a Cíntia, indo na casa dela e levando uns brigadeiros e pipoca para acompanhar o jogo. A copa já estava comprada, para acompanhar o pão que a Cíntia tinha feito, de fermentação natural.

Foi amor à primeira geladeira aberta. A amizade foi crescendo, até que chegou o dia que elas finalmente cozinharam juntas. A Alê estava com vontade de comer panetone, em novembro, a Cíntia chamou ela pra fazer um com o Gervásio, o seu fermento natural (a Cíntia tem mania de dar nome e personalidade para as coisas, o médico disse que não é grave. Mas a história do Abrão Gervásio fica para outro momento).

A receita ficou tão boa elas decidiram fazer pra vender. E batizaram de Gervatone. E fizeram um mascote logotipo meio tosco engraçadolho. E logo de cara venderam 100 panetones.

O Gervatone teve (e tem, é só encomendar) edições micareta: Natal fora de época

Em um desses dias de trabalho, fizeram pão de hambúrguer e chamaram uns amigos pra jantar. Ideia aprovada, assim surgiu o Gervaburguis, uma versão dos Jantares da Nena, eventos que a Alê já fazia com cardápios temáticos na casa dela. Claro, também com mascote e logotipo engraçadolho. E com toda uma personalidade que é meio tiozão, meio sexy sem ser vulgar.

O Gervaburguis funciona assim desde janeiro de 2015: as pessoas pagam um preço fixo pelo cardápio completo, que inclui petiscos, x-salada de carne ou vegetariano no pão Gervas de fermentação natural da Cíntia, batatas rústicas acompanhadas de maioneses (as maiosenes), catchup (o quéstichupe) e mostarda (gostarda), todos caseiros. De sobremesa, sorvetes também feitos do zero pela Alê, café, água e uma surpresinha no final. As bebidas são cobradas a parte.

A cada edição — que atualmente é bimestral e na casa de uma das duas — elas inventam um tema e baseiam o cardápio nele. Já teve inspiração em Minas Gerais, nos portugueses, na Alemanha e na Itália, no movimento musical britpop, no Carnaval e na Copa do Mundo. A decoração também sempre acompanha o fluxo.

Os anúncios dos jantares são uma diversão a mais. Unem toda a habilidade jornalística da Cíntia com o seu pouco conhecimento de ferramentas de design ou criação visual e resultam em uma identidade, digamos rústica-festiva. Ou tosca mesmo, mas que essas duas mulheres amam e vão defender sempre.

Muito prazer!

Agora que você já conhece a história do Gervaburguis, escreve para gervatonenatal@gmail.com para receber nossos avisos. (Sim, por email. Somos apegadas). E venha prová-lo em um dos próximos jantares