Mito: Herbalife faz mal

Este é um mito criado e propagado pelas redes sociais. É comum assuntos que criem polêmica serem compartilhados sem comprovação ou, pelo menos, uma reflexão sobre o assunto. No entanto, o uso do substituto de refeição como método de controle de peso tem tanto suporte científico que a Academy of Nutrition and Dietetics recomenda fortemente o uso dos shakes para combater a obesidade.

COMPROVAÇÃO CIENTÍFICA

A Herbalife é uma empresa que possui um grande conselho científico, incluindo o Dr. David Heber — por diversas vezes ganhador do prêmio The Best Doctors of America — e o Dr. Louis Ignarro — laureado Prêmio Nobel de medicina. No mínimo, é questionável a ideia de que uma companhia com esse direcionamento médico coloque no mercado um produto que não tenha sido testado e tenha sua segurança garantida.

Com esse questionamento em mente e uma breve pesquisa, podemos encontrar estudos que comprovam a eficácia e segurança dos shakes substitutos de refeição.

Quanto a sua eficácia, um estudo comparou o produto para substituir refeições com dietas para emagrecer no tratamento de obesidade em adultos com características de síndrome metabólica. Este concluiu que ambas são eficientes, mas o substituto de refeição foi superior no caso de alguns micronutrientes e os participantes da pesquisa foram mais favoráveis à conveniência do uso do shake. Uma outra pesquisa examinou os efeitos dos substitutos de refeição com alta e baixa quantidade de proteínas no emagrecimento com retenção de massa magra. Nele foi demonstrado que nos dois casos ocorreu a perda de peso, porém o shake preparado com maior quantidade de proteína eliminou mais gordura corporal — apesar de não ter aumentado a porcentagem de massa magra.

Quanto a sua segurança, alguns pesquisadores acompanharam 100 pessoas durante 01 ano para descobrir se os substitutos de refeição prejudicam o fígado, rins ou densidade óssea. A pesquisa também foi dividida em dois grupos: alta quantidade de proteína e baixa quantidade de proteína. Assim como nos artigos citados anteriormente, os participantes eliminaram peso e também foi constatado que não há, de maneira nenhuma, algum tipo de dano ao fígado, rins ou na densidade óssea. O shake é totalmente saudável para o seu organismo.

Outros estudiosos foram além e trabalharam para descobrir os efeitos dos substitutos de refeição em pacientes diabéticos. Foi feita uma comparação entre um grupo de pessoas com diabetes tipo 2 que tomaram shake e outras com a mesma doença que seguiram o tratamento dietético convencional. O resultado foi que o grupo que usou o substituto de refeição perderam mais peso que o grupo do tratamento convencional, revelando que os shakes são uma ótima opção para o tratamento de pessoas obesas com diabetes tipo 2.

PORQUE SURGIU O MITO DE QUE HERBALIFE FAZ MAL?

Este mito surgiu porque alguns médicos que não faziam ideia do conteúdo e efeitos dos produtos julgaram que ele seria a causa de algumas doenças. Isso somado a má interpretação de artigos científicos — que precisam de conhecimento sobre metodologias para serem escritos e interpretados.

E essa propagação continuou mesmo depois de outros cientistas avaliarem esses casos e constatarem que ninguém foi capaz de identificar algum ingrediente no produto que o ligasse a doença relacionada — tanto que, ao invés do documento citar o elemento químico como causador, ele cita o nome da empresa. Muito além disso, os artigos ignoram completamente o histórico médico, histórico da alimentação, estilo de vida e a disposição genética dos pacientes. Ou seja, todos os fatores determinantes foram deixados de lado na hora de construir a relação entre causa e consequência.

RECOMENDAÇÃO DOS NUTRICIONISTAS

Devido a uma série de estudos científicos recen

tes, a Academy of Nutrition and Dietetics classificou o uso do substituto de refeição como método de tratamento de sobrepeso e obesidade em adultos como forte e imperativa. O documento de posicionamento diz o seguinte:

“Para emagrecimento e gerenciamento de peso, o RDN deve recomendar porções controladas e substitutos de refeição ou planos estruturados de refeições como parte de um programa de controle de peso abrangente.”

Em uma tabela, eles listam diversos métodos relacionados à dietas para perder peso e discriminam quais possuem suporte científico, quais não e quais ainda precisam de mais investigação para que o nutricionistas possam tomar um posição sobre o assunto.

O shake substituto de refeição é sinalizado como um método que recebeu investigação por meio de estudo clínico randomizado controlado. As fontes desse posicionamento foram tomadas com base na biblioteca de análise de evidências da Academy of Nutrition and Dietetics, da American Heart Association e da American College of Cardiology. Em outras palavras, foram testados e retestados e tiveram sua eficácia e segurança comprovadas cientificamente.

Se você está em uma dieta para perder peso, una sua atividade física preferida, com uma alimentação equilibrada e o uso do shake. Ele pode ser um forte e delicioso aliado.

QUER SABER MAIS SOBRE DIETA DO SHAKE?

Clique aqui e me mande uma mensagem.

REFERÊNCIAS:

APPELHANS, K. et al. Revisiting acute liver injury associated with herbalife products. World Journal of Hepatology. Out, 2011. Disponível em: <http://www.wjgnet.com/1948-5182/full/v3/i10/275.htm&gt;. Acesso em: 28/01/2016.

BOWERMAN, S. et al. A controlled trial of protein enrichment of meal replacements for weight reduction with retention of lean body mass. Nutrition Journal. Ago, 2008. Disponível em: <http://nutritionj.biomedcentral.com/articles/10.1186/1475-2891-7-23&gt;. Acesso em: 28/01/2016.

CARPENTER, C. L. et al. Protein-enriched meal replacements do not adversely affect liver, kidney or bone density: an outpatient randomized controlled trial. Nutrition Journal. Dez, 2010. Disponível em: <http://www.nutritionj.com/content/9/1/72&gt;. Acesso em: 28/01/2016.

CHAMPAGNE, C. M. Position of the Academy of Nutrition and Dietetics: Interventions for the Treatment of Overweight and Obesity in Adults. Journal of the Academy of Nutrition and Dietetics. Mar, 2012. Disponível em: <http://www.eatrightpro.org/~/media/eatrightpro%20files/practice/position%20and%20practice%20papers/position%20papers/weightmanagement.ashx> Acesso em: 28/01/2016.

CLIFTON, P. M. et al. Meal replacements are as effective as structured weight-loss diets for treating obesity in adults with features of metabolic syndrome. The Journal of Nutririon. vol. 134 no. 8 1894–1899, Ago, 2004. Disponível em: <http://jn.nutrition.org/content/134/8/1894.long>. Acesso em: 28/01/2016.

DITSCHUNEIT, H. H. Do Meal Replacement Drinks Have a Role in Diabetes Management? Nutritional Management of Diabetes Mellitus and Dysmetabolic Syndrome. vol 11, p. 171–181, 2006. Disponível em: <http://www.karger.com/Article/Abstract/94450&gt;. Acesso em: 28/01/2016.


Originally published at nutrivibe.wordpress.com on April 19, 2016.