Bom dia!

Todos os dias ela vem. Silenciosa, fraca nos primeiros instantes e muito forte com o passar das horas. Durante uma das últimas viagens eu senti o primeiro sintoma que pode me parar pra sempre. A dor.

A dor no crânio interrompeu meus movimentos por alguns minutos, tomou meu olho de um vermelho sangue e encheu meu corpo de um pavor absurdo. Sem reação. Eu nunca havia sentido isso antes. Ela ainda continuou ali por alguns dias. Mesmo com o ritmo lento ela ainda pulsava.

Diante de todas as feridas da alma e do corpo que possuo , ainda preciso aprender a lidar com essas coisinhas que estouram aqui dentro. Despedir-se de certos momentos é inevitável para mim e incompreendido pelos amigos.

Logo pela manhã eu sinto um prazer imensurável em sentir minha respiração e saber que recebi mais um dia de vida de presente. Hoje quem me dá bom dia é Deus, é meu coração pulsando, é minha vontade de começar a fazer acontecer o dia.

Os sintomas cada dia mais fortes me enchem de medo, me tornam sem vida em alguns momentos, mas me dão a vontade de viver pra sempre.

Todo adormecer pode ser o último, mas todo amanhecer é o meu recomeço!

Bom dia.