Os velhos clichês carregados de preconceito que ninguém aguenta ouvir mais

Autoria: Kahalia

Já estamos a DEZ meses em 2017…..

Mas parece que algumas pessoas ainda ficaram presas nos clichês do ano passado (ou melhor, das décadas passadas)

Originalmente publicado por lifetimetv

Vamos então citar aqui umas frases e situações que tá na hora de parar de reproduzir em 2017 em diante!

Originalmente publicado por ba1n3s

Pegue seu caderninho e, vamos começar anotar que você não deve repetir frases da família “não tenho preconceito, mas…”

“eu amo as pessoas LGBT+, mas…”

“ok que vc é LGBT+, mas…”

“não me importo com você ser quem é, mas…”

“eu te aceito, mas…”

Quando você diz não tem preconceito, é no mínimo, E-R-R-A-D-I-S-S-I-M-O você falar “mas” depois, porque você coloca um porém na afirmação. Praticamente o que você fala é: ‘eu não tenho preconceito aparentemente, mas eu tenho preconceito eu só não quero que falem que eu tenho preconceito’. As pessoas se preocupam muito em não parecer uma pessoa preconceituosa para as demais pessoas, mas se você tem preconceito e realmente quer tirá-lo do seu caminho, o primeiro passo é admitir esse preconceito e procurar uma forma de entender de onde ele nasceu e porque ele nasceu. Literalmente ir na raiz do problema. O segundo passo é entender que a vida e a liberdade das pessoas, inclusive de sus familiares, filhes e etc, não devem depender da sua aprovação, ou seja, fica na sua, cuida da SUA vida, deixa as pessoa de boa!

ENTENDIDO?

Originalmente publicado por punsandgifsandcatsohmy

Estes são clássicos pra quem tem a empatia em falta e a tesoura do recorte aposentada: “Todos somos seres humanos, todos somos iguais, pra que tanto rótulo?” “Sou contra rótulos, pra mim todo mundo devia ser tratado do mesmo jeito”.

Originalmente publicado por yourreactiongifs

“’pera’, o quê?”

Se você não precisa deles, amore, tem mais 7 bilhões pra gente consultar opinião se precisa ou não de “rótulos”. Então não se preocupe só com você, se preocupe com as demais pessoas. Termos são necessários pra mostrar a diversidade humana, mostrar que o que você sente ou vive não é algo isolado. Também é uma forma do mundo saber da existência, necessidades, individualidade, particularidades e diferenças das outras pessoas e entender que o que nos une, também é o que nos torna diferentes. É importante também, principalmente pras pessoas que são invisíveis na sociedade ter orgulho de quem são e também pra lutar por visibilidade e direitos.

Então, agora, mentaliza que pensar isso de extinguir rótulos é uma salada cheia de falta de respeito, com falta de empatia picadinha, e molho de falta de recorte social e de classe.

Lembra desse povo aqui que veio daquele lugar chamado normatividade? Então…
“Pra que se expor tanto?” “Pode ser quem você quiser, mas não precisa mostrar pra todo mundo” “Pra que as pessoas precisam ficar sabendo que você é ___________?”

Originalmente publicado por quandtaspasdeviesociale

“é sério?”

Se expressar são coisas que todo mundo faz. E mesmo inconscientemente você faz isso. Por exemplo, mesmo que você use roupas que todo mundo considere a “certa” pra você usar, isso é uma forma de se expressar. Tudo que você toma pra si e fala “eu gosto disso e vou usar isso” é uma forma de se expressar perante outras pessoas. E se todo mundo faz isso, porque só algumas pessoas são julgadas e criticadas? BAM! Preconceito. Te ensinaram que existe uma forma certa de agir, se vestir e ser, mas isso é uma bobagem! E tá tudo bem você seguir esse padrão ou não, só não dá pra cobrar ele das pessoas.

Tais frases também são usadas quando alguma pessoa LGBT+ “sai do armário”. Se assumir LGBT+ é um ato político e de coragem, e deve ser encorajado por frases como “isso aí! vai ser você! você tem esse direito” “te apoio muito do jeito que você é”, sem mais, sem porém, sem vírgula. As pessoas tem todo direito de serem extravagantes, ou simplesmente, serem elas mesmas. Ser uma pessoa LGBT+ padrão (cisheteronormativo) não te faz em momento nenhum alguém superior a outra pessoa LGBT+ fora do padrão. TODO MUNDO É LGBT+ E MERECE RESPEITO!

E, mas uma vez: fica na sua, cuida da SUA vida, deixa as pessoa de boa!

Olha, vamos guardar essas ideias abaixo numa caixinha e enterrar num lugar pra não encontrar nunca mais?

Originalmente publicado por ommanyte

“Pessoas LGBT+ são doentes” “Eu tenho que dó quem é LGBT+”

Não tem ninguém doente, não tem que ter dó nenhuma, até porque isso não resolve nossos problemas. Se você quer ajudar, esteja do nosso lado e não de fora da nossa luta tendo pena da gente.

“Trans é quem nasceu no corpo errado” “Travesti é que não fez cirurgia, trans/transsexual é quem fez cirurgia (cirurgia de redesignação sexual)”

Ninguém tem um corpo errado. Acontece que algumas pessoas (e não só trans) tem o que chamamos de disforia, que é uma inconformidade com algumas partes do seu corpo. Não é doença. Só porque você não passa por isso não quer dizer que a outra pessoa seja doente. Não é algo exclusivo das pessoas trans, até porque não é só essa população que faz cirurgias plásticas ou utiliza hormônios pra deixar o corpo do jeito que prefere (mas é a única população que tem restrições quanto a essas modificações).

“Fulane mudou de sexo, agora é ________”

Ninguém deita numa mesa de cirurgia com um sexo e sai dela com o sexo mudado. O que se muda é a genitália, e ela tem 0% a ver com o gênero da pessoa. Então, repita comigo: cirurgia de redesignação GE-NI-TAL.

“Mulher / homem de verdade”

Mulher e homem de mentira quem produz é a Mattel, e outras empresas de brinquedos pra crianças.

Mulheres/homens trans são mulheres e homens trans, independente do que você acha ou acredita. Não são falsos ou menos homens ou menos mulheres por serem trans. Supere.

“A pessoa não é trans porque não usa hormônios, ou fez cirurgias, ou não mudou o jeito de vestir, ou não tem disforia”

Pessoas trans vão ser trans mesmo sem cirurgias, mudanças corporais, hormônios e etc. Primeiro que são coisas pouco acessíveis e de acesso dificultado pela sociedade. Em segundo quem nem toda pessoa trans quer mudar seu corpo, sua forma de vestir etc. SER TRANS NÃO TEM A VER COM MUDANÇAS FÍSICAS, tem a ver com identificação pessoal com algum gênero diferente daquele que foi imposto no nascimento, e somente isso.

Mais dúvidas? Se informe antes de sair afirmando as coisas.

Congele pra sempre as perguntas:

Originalmente publicado por gameraboy

“Você é trans? Mas você fez cirurgia?”

- Sou trans, e vou fazer uma cirurgia agora. Me passem o bisturi, deixa eu cortar você da minha vida.

Sério pessoas cis, porque vocês querem tanto saber o que tem entre as nossas pernas? Tenham bom senso, ninguém te pergunta isso.

“Porque você virou homem pra ficar com homem?” ou “porque você virou homem pra ficar com homem?”

Sexualidade é diferente de gênero e saber isso é um pré-requisito básico. Então, vamos a aulinha. Gênero é a identificação pessoal em algum gênero, Sexualidade é por quem você tem atração sexual ou popularmente dizendo, tesão.

“porque você namora mulheres que parecem homens, porque não namora homem de uma vez?” ou “porque você namora homens que parecem mulheres, porque não namora mulher de uma vez?” ou “porque virou homem se fica com homem?” ou “porque virou mulher se fica com mulher?”

Gente? Mesmo que sejam homens afeminados ou mulheres masculinas, ainda são homens ou mulheres, se eu me atraio sexualmente por esses gêneros ou um ou outro, porque não namorar essas pessoas? Eu ein. Fica na sua.

- Você diz “virar” quando eu viro pra esquerda ou pra direita? Então, virar pra cá ou pra lá eu ainda fico com o mesmo gênero.

Mas então, a gente não vira nada, a gente simplesmente se REconhece trans. E eu não sou trans por causa de quem eu beijo ou deixei de beijar.

Chegou com 2017, a hora de parar de usar as expressões: “sexo biológico” “sexo masculino” “sexo feminino” “só existe XX / XY”

Originalmente publicado por siempresarcastico

A biologia e ciências que te ensinaram no ensino médio é tão básica e rasa, e não te dá base nenhuma pra você sair por ai achando que o mundo, as pessoas e toda complexidade humana conseguem ser explicadas com esse estudo que você recebe na escola. E você vai passar muita vergonha reproduzindo isso como algo abrangente ou como verdade absoluta.

A genitália das pessoas já é uma característica biológica, então não tem porque citar “biológico”. Gênero é um fenômeno social e psicológico e NÃO biológico. Outro motivo é que essas afirmações além de redundantes, também ofensivas às pessoas trans e pessoas intersex. Esses termos geralmente são usados quando uma pessoa quer reforçar que a genitália, cromossomos e sistema reprodutor são mais importantes que o gênero da pessoa; ou que são essas características corporais determinam o gênero da pessoa; ou pra menosprezar uma pessoa trans ou intersex.

Como já vimos, são duas coisas completamente diferentes que estão de uma forma muito errada sendo associadas. Portanto, dizer “sexo feminino” ou “sexo masculino” se você quer se referir ao que a pessoa tem no meio das pernas é completamente NADA A VER! ‘Masculino’ e ‘feminino’ se referem a assuntos de gênero e não de biologia.

Pro fim, não existe só XX e XY, essa é uma afirmação errada e rasa sobre o assunto cromossomos e reprodução humana. E eu aconselharia que você pesquise melhor e cientificamente sobre o assunto.

Mas e agora? Tem salvação?

TEM! Você pode substituir esses termos por:

  • DMAN (designade mulher ao nascer)
  • DHAN (designade homem ao nascer)
  • Pessoa com sistema reprodutor testicular: termo que faz referência a pessoa que nasceu com pênis e testículos (é incorreto achar que essa pessoa “nasceu um homem” ninguém nasce com gênero, gênero é algo social que é imposto no nascimento)
  • Pessoa com sistema reprodutor ovariano: termo que faz referência a pessoa que nasceu com vagina e ovários (é incorreto achar que essa pessoa “nasceu mulher” genitália e sistema reprodutor não formam gênero em ninguém).

Ainda ficou com dúvida? Nesse link isso tudo é explicado tim-tim por tim-tim!

Originalmente publicado por rougevie

“E isso é tudo amiguinhes!”