Valorização da arte independente e da moda mais transparente

Projeto Camisas | Colaboração Trama + 06 Artistas

A maioria das pessoas não sabe, mas o Trama começou bastante voltado para ocupação de espaços públicos e da valorização dos artistas independentes. Durante um ano realizamos diversos eventos em praças, parques e ruas para ocupá-las, levar vida, segurança, participação e interação na comunidade próxima, que se interessavam em ter seu bairro cada vez mais ocupado e participativo, inclusive, por artistas.

Evento O Passeio é Público produzido por mais de 20 coletivos, inclusive o Trama.

Nesse primeiro ano de Trama, experimentamos, aprendemos e erramos também. O melhor de tudo foi a livre criação, que nos permitimos para nos conhecer como organismo e entender a própria dinâmica da cidade e do impacto que queríamos trazer para ela.

Mas por qual razão estou fazendo esse comentário? Para explicar como surgiu o Projeto das Camisas do Trama. Você conhece alguma de nossas camisas? Sabe por que as vendemos? De onde surgiu essa ideia? E, mais importante, por que ela tem esse valor de custo?

Para começar, é bom contar para vocês que a camisa inicialmente veio como uma boa ideia para solucionar um problema que tínhamos. Quando o Trama surgiu, éramos quase todos alunos de design nos últimos anos de graduação, ou seja, com cargas horárias altas na faculdade e com pouco tempo para nos dedicar ao Trama (isso ainda acontece com alguns integrantes), e ainda tínhamos que solucionar o problema financeiro. Como criaríamos um pequeno caixa para capital de giro para o Trama?

Vieram então algumas ideias e uma delas a das camisas. Por que não nos juntar com diversos artistas, que estão sempre em nossos eventos em praças públicas, para criarmos juntos uma linha de camisas, que valorize a arte independente, remunere os artistas, espalhe a ideia do Trama e crie um pequeno caixa para o coletivo?

A camisa não veio para tornar o coletivo financeiranmente sustentável, mas para evitar que nós próprios financiássemos quando fosse preciso verba para realizar alguma intervenção ou atividade do Coletivo.

Exposição Arte da Terra do artista Jhon Bermond no Nó Cultural realizado pelo Trama na Praça do Índio.

Entramos em contato com diversos artistas que estavam sempre conosco nas intervenções e 6 compraram a ideia: Jhon Bermond, Juliana Freitas, Luiz Fernando Guedes (Lefe), Maxwell Alexandre, Rodrigo Rosm e Vidi Descaves. Pedimos então, que realizassem com seus traços e estilos de desenho diferentes, artes que expressassem o ideal do Trama: colaboração, sentimento de comunidade, cidades, visão participativa, arte, ativismo, cooperação e outros.

Em seguida tivemos o difícil desafio para achar um lugar que produzisse as camisas, onde seus trabalhadores não fossem explorados, e que também nos ajudasse a manter as camisas por um preço razoável para venda. Foi então, que após algumas semanas de pesquisa, visitamos a fábrica da Mesclado e os escolhemos para confeccionar as camisas. Um dos pontos importantes que nos fez escolhê-los, é que eles nos permitiam que divulgássemos a relação de gastos da camisa para o nosso consumidor, ou seja, para você.

Por que para a gente isso era tão importante? Porque não faria sentido falar de tudo que falamos e não poder ter no projeto das camisas uma moda transparente, onde a pessoa que compra, sabe exatamente onde está sendo investido seu dinheiro cabendo a ela decidir se vale a pena ou não.

Vamos então a essa relação: Comprando conosco pessoalmente (ou encomendando por e-mail) a camisa custa R$65,00. Desses R$65,00, R$35,00 foram para pagar a produção da camisa junto com a Mesclado (podendo esse valor sofrer pequenas variações), R$21,00 são para o caixa do coletivo (atualmente composto por 6 integrantes) e por fim, R$9,00 reais são para remunerar o artista que realizou a arte da camisa. Nos R$21,00 do caixa do coletivo do Trama, entram também custos menores do projeto, como a embalagem da camisa e a impressão da cartilha de divulgação.

Por falarmos de colaboração e entendermos que existem outras formas de remuneração que não se dão apenas pelo capital financeiro e que não podemos cobrar o mesmo valor de todos pois nem todo mundo tem a mesma condição financeira, criamos 3 preços variáveis para as camisas, e cabe a você decidir qual pode investir, checando sua abundância e seu coração. São eles:

  • R$55,00 | Valor mínimo pedido pela camisa para aqueles que não podem pagar o valor inteiro;
  • R$65,00 | Valor ideal da camisa que remunera os artistas e o Coletivo;
  • R$70,00 ou mais | Valor de incentivo onde você nos apoia a continuar, investindo em nós.

Hoje em dia, sabemos que o projeto das camisas não irá nos tornar sustentáveis. Mas vemos muito valor em um trabalho que espalha por aí um projeto tão bonito e remunera artistas, além de criar um pequeno caixinha para nós. Então, se você, que vem nos namorando a um tempinho e gostaria de saber como nos ajudar para continuarmos fazendo o que já fizemos nesses 2 anos de vida, a camisa é uma boa sugestão. Além de você ganhar uma camisa com tecido super confortável, com 6 estampas diferentes para você escolher (obs: não nos pergunte qual preferimos: somos suspeitos, amamos todas), você ainda ajuda a remunerar a arte independente e o nosso coletivo.

E aí, o que está esperando para entrar em contato conosco? Peça já seu modelo por email (contato@trama.net.br) e nos veremos por aí, usando essas belezinhas na rua.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.