Trama no Passeio Público

Você conhece o Trama?

Idealizado por 5 estudantes na PUC-Rio em uma matéria do curso de Design, o Trama já tem 1 ano e meio de vida. Nesse texto vou procurar falar sobre o que já vivemos, como nos tornamos um Coletivo e quais são os próximos passos para continuarmos sonhando e tramando uma cidade mais integrada e participativa.

Quem fundou o Trama em 2014. Da esquerda para a direita: Erik Lobo, Bernardo Brasil, Felipe Salazar, Bruna Souza, Karmel Arruda e Lucas Gebara.

Por quê Trama?

Antes de falar o que somos, acho importante falar POR QUÊ existimos.

Desde que começamos a botar a cara na rua e pesquisar, conhecer e participar de iniciativas criativas independentes que aconteciam na cidade, reparamos uma singularidade: elas quase nunca aconteciam juntas ou se comunicavam e articulavam para acontecer de maneira integrada e estruturada.

Imagina só: e se a roda de malabares circenses encontrasse a roda de rima na praça, e de repente, a galera do skate também chegasse junto para ver o que tava acontecendo. Essa não seria a oportunidade perfeita para os jovens empreendedores da cerveja artesanal, daquela menina que vende brownie e do poeta de esquina mostrarem também que tem algo para oferecer? Pronto, já é uma ocupação cultural, um evento colaborativo e principalmente um momento de lazer, de graça e acessível para todos.

Nó Cultural na Praça do índio no Flamengo — Segunda ocupação do Coletivo Trama.

De olho nessa oportunidade, tivemos a sacada de construir uma comunidade ou um Coletivo de pessoas engajadas em fortalecer qualquer iniciativa criativa e independente, através da colaboração em rede, como uma malha ou trama de ideias e vontades.

Sendo assim, o Trama existe porque acreditamos no poder de iniciativas que mobilizem pessoas, espaços e ações. Criamos conexões e facilitamos ações colaborativas através de uma plataforma online que possibilita que qualquer um se torne um agente transformador da sua cidade.

Então, o que é o Trama?

O Trama é uma plataforma, mas também pode ser uma reunião aberta, uma intervenção urbana, uma iniciativa criativa, uma dinâmica interativa… O importante é mobilizar pessoas para ações colaborativas em rede.

Seja uma ocupação cultural na praça abandonada, um mutirão de limpeza nas praias, a revitalização do muro da Escola Municipal do seu bairro, uma reunião aberta no Parque Público, uma oficina aberta na rua, uma visita de palhaços a um hospital carente, e muito mais…É você quem tece a trama conosco.
Toda iniciativa coletiva feita por pessoas e para pessoas, de forma colaborativa, é um pouco do que somos e o que desejamos ver cada vez mais na rua.

O que já tramamos?

Em 1 ano e meio de projeto, já tivemos algumas grandes conquistas:

Quando começamos, víamos que nosso potencial era integrar pessoas criativas a lugares ociosos. Hoje, enxergamos mais longe, vemos o Trama como uma ponte ou rede para as pessoas criarem novas parcerias, projetos e iniciativas que possam se sustentar e se fortalecer dentro da economia colaborativa e da economia criativa.

Conhecemos pessoas incríveis durante a nossa jornada, colaboradorxs, parceirxs, amigxs. Se não fosse por essa galera, talvez já tivéssemos desanimado e desistido. Trazendo feedbacks honestos, referências essenciais e principalmente a certeza de que estávamos co-criando um Coletivo, fomos alimentados pela energia e o carinho dessas pessoas mais próximas para chegarmos aonde estamos hoje. ❤

Da maneira mais linda, aprendemos que sem pessoas engajadas no nosso propósito, não existe Trama a ser tecida, porque os fios são vocês que trazem. Queremos ser o suporte e o catalisador dessa galera foda.

A Trama é feita de pessoas — Intervenção do nosso parceiro e amigo Vidi Descaves no evento na Casa Nuvem.
Nossa missão é ser a ferramenta facilitadora de ações colaborativas de pessoas engajadas em transformar o espaço em que vivem.

Os Trameiros

Em certo momento da nossa jornada, estávamos cercados de pessoas como nós, os fundadores, pessoas apaixonadas e com brilho nos olhos para transformar, construir uma cidade mais participativa e que principalmente acreditavam nos valores que queríamos trazer.

Por isso, selecionamos a dedo essas pessoas e montamos um time de Trameiros e em menos de 2 meses, deixamos de ser 5 para nos tornarmos 12 e consequentemente uma família. Através de encontros regulares, reuniões, cervejinhas, mergulhos na praia, pizza e imersões de 2 ou 3 dias, nos tornamos uma equipe dividida por GT’s (Grupos de Trabalho) e áreas de interesse e foco. Cada um pesquisa e trabalha no que é apaixonado e assim vamos nos complementando! ❤

A primeira reunião-piquenique na Praça Paris foi o start de uma relação de amor, propósito e trabalho.

Imersões “Tramáticas”

Na nossa primeira imersão, subimos a serra de Petrópolis para mergulhar dentro do desenvolvimento da nossa plataforma colaborativa: funcionalidades, etapas, tarefas e principalmente metas. Co-criamos um MVP que dá gosto de ver crescendo, evoluindo e se concretizando. É com MUITO orgulho e amor que a gente tá lançando uma versão dele nesse final de fevereiro de 2016. Em suma, subimos com um time de programação + design e dessa viagem, entre cervejinhas e laricas, saiu o nosso “produto”, fechadinho.

Primeira imersão do Trama no Sítio Chalezinho — DEV + DSG TEAM — Da esquerda para à direita: Bruna Souza, Rafael Carpinetti, Genezys Gonçalves, Felipe Salazar, Gabriel Arrais, Bernardo Brasil, Karmel Arruda e Gabriela Ornellas.

Na nossa última imersão, a segunda desde que esse novo momento surgiu, mergulhamos em nós mesmos e no projeto. Realizamos dinâmicas do Golden Circle, unificamos a nossa metodologia de trabalho, modelo de negócios, montamos um cronograma para os próximos meses, conversamos sobre como trazer questões políticas e sociais para o nosso projeto, trocamos feedback sobre o futuro desenvolvimento do Trama como:

  • Criarmos uma marca de camisas feitas por ilustradores/colaboradores do Trama, ajudando eles a se lançarem como artistas independentes e fortalecendo a nossa identidade nas ruas.
Já pode quebrar o $porquinho$ porque as camisas já estão no forno. Êta Geovanna!!!
  • Desenvolvimento de workshops/oficinas dentro da temática e dos valores do Coletivo (economia colaborativa, empreendedorismo criativo, ocupação dos espaços públicos etc…)
  • Lançamento da nossa campanha de crowdfunding! \($_$)/
  • “Pulsos da Trama” — Reuniões abertas e recorrentes em várias casas colaborativas da Zona Sul, Oeste e Norte para convocar, convidar e conhecer quem tece o Coletivo e como você pode pular dentro dessa rede, realizando dinâmicas interativas e facilitações para co-criar projetos com nossos colaboradores.

Tudo isso rolando entre ocasionais mergulhos na piscina, altinha no gramado, ping-pong e lareira e vinho de noite, para relaxar e deixar fluir melhor o processo criativo. Tudo sempre muito divertido, produtivo e descontraído.

Segunda imersão do Trama no Sítio Chalézinho. Da esquerda para à direita: Bernardo Brasil, Bruna Souza, Gabriela Ornellas, Karmel Arruda, Rafael Salim, Rebecca Barreto, Leonardo Veras, Genezys Gonçalves, Felipe Salazar e Rafael Carpinetti.

O que o Trama vem tecendo em 2016?

No final do ano passado, buscamos tornar o Trama, nosso principal trabalho na vida, por isso, largamos nossos empregos corporativos e assim como muitos, apostamos alto na Economia Colaborativa e seu potencial de propor novas soluções criativas para velhos paradigmas da nossa economia capitalista-consumidora.

Por isso, sondamos a nossa rede e corremos atrás de oportunidades que poderiam tornar o Trama não mais um projeto de faculdade e sim uma startup digital em ascensão, desenvolvendo seu produto e criando uma comunidade engajada e fortalecida.

Incubação

Conversamos com amigos e parceiros e uma das oportunidades que surgiu foi ser incubado pela casa de co-working Templo, recebendo consultoria, mentoria e todo o acesso as pessoas incríveis que já passaram e estão dentro da rede do Templo.

Ignorem o dedinho ;)

Desde então o salto foi enorme, botamos as cabeças para funcionar e ativamos a inteligência coletiva da nossa equipe. Cada GT criou metas para si e projetos a curto, médio e longo prazo. Com brilho nos olhos e amor pela missão, nos jogamos na rede pra valer!

Agora, se você quiser conhecer, conversar e trocar conosco, é só visitar a sede do Templo aqui na Gávea que a gente vai te receber de coração aberto. Qualquer dia da semana, dá um toque e vem! ;)

O ano da mudança

“2016 é o ano que veio para ficar” — Quando eu li isso no revéillon eu achei muito engraçado — “Marketing, you are doing it wrong” — porque bem né, todo ano passa e nada fica, senão as vivências e os aprendizados.

Porém, pra gente, é essa a visão: Vamos botar o Trama na rua, online e na casas criativas da cidade…custe o que custar. Então sim, esse ano veio para ficar na nossa memória como : O Ano Que o Trama Foi Pra Rua.

Olimpíada, eleição (por favor que eu não seja mesário), crise econômica e política, corrupção etc… A lista é imensa. Porém, toda crise gera uma oportunidade e pra gente, isso tudo nos motiva a criar soluções criativas. Acredito que a nossa equipe seja bem flexível e estamos sempre atentos ao que tá rolando pelo mundo digital e off-line.

Por isso, entre outras metas, estamos tramando de:

  • Criar conexões e facilitar que os projetos dos nossos parceiros e colaboradores tenham o maior impacto possível e que sejam abraçados de forma colaborativa pela cidade.
  • Tornar a nossa plataforma digital nosso principal canal de mobilização em rede, deixando ela fácil e acessível para todos com vontade de se engajar em uma ação criativa pela cidade.
  • Desenvolver um modelo de negócios, de longo prazo, que torne o Trama sustentável. (Vale dizer que estamos há um ano e meio somente no ❤amor❤, e tem sido lindo.)
  • Aproximar nossos colaboradores, amigos e parceiros para eles estarem ligados no por quê, no que e como estamos tocando o Trama. A transparência é um valor essencial para a gente.

Enfim, a vida é uma caixinha de surpresas que a gente não escolhe a hora e nem o lugar que as coisas mais incríveis podem acontecer. Por isso, tem que deixar rolar para ver até aonde essa trama pode ser tecida. Confesso que estamos TODOS animados! É muito maneiro trabalhar com o que você ama, com gente que você admira. Se você não o faz, deveria. Acalma o coração e fortalece a criatividade.

Resposta a uma intervenção interativa que fizemos: “Viver em rede para mim é…?” no LAR.

Então tramemos!

Desde que eu me envolvi com o Trama, minha vida mudou. Todas as minhas relações pessoais, profissionais, espirituais e amorosas tomaram um caminho que eu jamais ia esperar. Isso foi foda. Me catapultou para um mundo que eu não conhecia e agora não me vejo fora dele. E não acho que eu esteja sozinho. Aprendi que, na verdade, ninguém está.

Se você quiser saber mais sobre a gente e sobre esse mundo que a gente tá tramando, assina a nossa newsletter (o formulário ta lá no nosso site) e acompanha a nossa página ou nosso grupo no Facebook.

Felipe Salazar, co-fundador e articulador do Trama.

FIM ❤