Sou um pouco de tudo.
Advinda de extremos que se convergem.

Sou hoje, uma.
Ontem, outra.
Amanhã é tão abstrato e inseguro.

Sou o agora, pois é o único
que ,de fato, me
pertence

O resto,
me pertenceu
Mas, ainda sou eu.

Respingos de mim
em mim.

Sou assim:
instantes não exatos.
Às vezes conturbado,
outras vezes plácido.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.