Como Anda marca presença no Seminário Segurança para Mobilidade Ativa

No dia 26 de junho de 2018 foi realizado no Congresso Nacional, em Brasília, o Seminário Segurança para a Mobilidade Ativa. O evento é fruto da parceria entre a UCB — União de Ciclistas do Brasil, a Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados — CVT e a Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro.

Ao lado de vários palestrantes, Silvia Stuchi, coordenadora do Instituto Corrida Amiga e pesquisadora do Como Anda, desenvolvido em parceria com a Cidade Ativa e apoio do Instituto Clima e Sociedade, apresentou o projeto que tem como objetivo principal mapear e compreender o movimento pela mobilidade a pé no país e fornecer subsídios para seu fortalecimento.

Foto: UCB — União de Ciclista do Brasil

Na apresentação, foi dado enfoque às iniciativas desempenhadas pelas organizações mapeadas no Como Anda, em termos de propostas e soluções para melhorar a segurança da mobilidade ativa, separados em cinco eixos: coleta de dados; educação; infraestrutura; conectividade; advocacy; e campanhas, conforme exemplos:

Fonte: projeto Como Anda

Na apresentação de Hannah Machado, coordenadora de Desenho Urbano e Mobilidade da Iniciativa Bloomberg para a Segurança Global no Trânsito e integrante do IAB-SP, foram apresentados dados de projetos realizados em São Paulo e propostas de redesenho urbano. Elas são voltadas a garantir a segurança e conforto para a mobilidade ativa, reafirmando a necessidade de reavaliar os modelos de cidades atuais, monitorar e buscar mudanças necessárias que garantam maior segurança e eficiência dos deslocamentos urbanos.

Já Martha Martorelli, analista de Infraestrutura da Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, levantou pontos relativos aos planos de mobilidade municipais. Além dos pontos sobre falta de capacitação e sensibilização dos gestores públicos e falta de recursos, Martha salientou a importância da elaboração do documento como ferramenta de planejamento urbano, contribuindo também para a saúde individual e coletiva, ao passo que prioriza-se o transporte ativo e público coletivo. Ainda, Martha trouxe o exemplo do programa Avançar Cidades, que tem o objetivo de fomentar a melhoria dos ambientes urbanos através do financiamento de ações de mobilidade urbana, com recursos específicos para calçada e ciclovia.

Foto: UCB

No final do seminário, foi proposta e anexada à ata da audiência uma carta-síntese sobre os pontos abordados pelos palestrantes, visando garantir mais segurança para a mobilidade ativa.

O vídeo completo da transmissão online pode ser acessado aqui