Resultados e Perspectivas: Plano de Ação coletivo para fortalecer o movimento pela mobilidade a Pé

Como Anda
Como Anda
Aug 23, 2018 · 5 min read

Desenhar e pactuar um Plano de Ação coletivo para fortalecer o movimento pela mobilidade a pé no país. Este foi o principal objetivo da Oficina Como Anda, realizada em São Paulo, no dia 20 de julho, pelas organizações Cidade Ativa e Corrida Amiga, com apoio do Instituto Clima e Sociedade.

Mais de 30 organizações de sete cidades do Brasil enviaram representantes para o encontro e outras sete organizações participaram virtualmente, representando mais seis cidades. As dinâmicas foram orientadas em três eixos, definidos coletivamente em encontros anteriores: fortalecimento das organizações, fortalecimento da pauta e articulação e fortalecimento da rede.

Entre as discussões contempladas, facilitada pela equipe composta por da Heloísa Mota, Rafael Fernandes e Juliana Russar, estão: o mapeamento de conquistas e desafios, revisão e olhar crítico sobre os objetivos das entidades e reflexão sobre os principais questionamentos que surgiram nos debates.

Na dinâmica “Como Anda o Movimento” as organizações relembraram histórias e conquistas do movimento pela mobilidade a pé no Brasil. O exercício auxiliou na identificação de desafios e conquistas comuns entre as Organizações/movimento. Além disso, cada Organização/movimento compartilhou objetivos individuais (Tabela 1).

Tabela 01 — Resumo da “avaliação das principais conquistas e desafios do movimento, tomando como referência os três objetivos do projeto”

Foram diversas conquistas levantadas pelos participantes, como: o reconhecimento do tema; avanço do trabalho de advocacy pelo movimento; facilidade de conexão da pauta com outras temáticas, como saúde e qualidade de vida, e Movimentos ganhando maior visibilidade não apenas em eventos específicos de mobilidade a pé. Os desafios comuns estão no levantamento de dados e métricas para construção de indicadores de performance para buscar financiadores; pouco conhecimento das organizações sobre como obter recursos (financeiro, mas não apenas) para implementação de projetos; necessidade de ampliar o debate de forma mais democrática, além de sentirem falta de uma representatividade nacional do Movimento e de desejarem maior conexão geográfica entre os mesmos, construção e visão de planejamento coletivos. Os principais encaminhamentos são reflexo das análises do atual status apreendido sobre o movimento, como a intenção de criar uma rede online e também offline para trocas entre parceiros e também comunidade local .

Na Tabela 2 abaixo, desenvolvida com base no registro da Oficina, são identificados temas de maior destaque e com maior potencial de ação e envolvimento dos movimentos presentes, organizados à luz dos principais eixos em discussão no encontro.

Tabela 2 — resumo do “temas e soluções propostas pelos participantes ao longo da Oficina analisados sob o prisma das três principais linhas de atuação do Projeto Como Anda”

Foi pontuado no tema de reconhecimento e organização da Rede, a clareza desse papel e em como as necessidades coletivas podem contribuir no papel individual das organizações, bem como otimizar a comunicação entre elas através de um trabalho coletivo. No tema apresentado sobre aprimoramento dos trabalhos, a ampliação do diálogo com instituições de pesquisa, academia, órgãos públicos como forma de argumentar e aprimorar Políticas Públicas existentes surge como fortalecimento da Pauta. Uma das ações possíveis a ser implementada foi apresentada através da ideia de criar uma campanha nacional, promovendo eventos locais, regionais, a partir de objetivos em comum.

No final do Encontro, os grupos priorizaram dois desafios e duas conquistas que mais chamaram atenção na conversa e/ou que melhor convergiam entre os participantes. A Tabela 3 apresenta uma visão geral das avaliações dos grupos sobre as principais conquistas e desafios do movimento e das organizações.

Tabela 3 — “resumo dos resultados da atividade realizada em Grupo sobre objetivos, desafios e conquistas do movimento”

Para os participantes o Movimento avançou em diversas questões, como ter pautado processos de discussão da política pública e consenso de que há uma avaliação positiva da população nas intervenções voltadas à mobilidade ativa. Entretanto, à medida que os avanços seguem, os desafios se reconfiguram. Abordar o tema da mobilidade ativa fora dos grupos que atuam nesse nicho, assim como dar escala para que essa mudança cultural aconteça, são algumas das questões apresentadas.

Como possíveis encaminhamentos[1], com base na experiência do Encontro, destacam-se:

  • Compartilhar resultados do Encontro com os participantes da reunião, relembrando os compromissos e refazendo acordos;
  • Construção de uma visão Compartilhada sobre Princípios e Valores da Rede[2];
  • Criação de Grupos de Trabalho;
  • Identificação de possíveis canais de comunicação (Facebook, E-mail, Telegram), objetivos do grupo de discussão e temas de interesse que seriam discutidos no canal, participantes, responsabilidades;
  • Todas as organizações apresentam seus próprios projetos e apresentaram novas ideias, as quais demonstraram estar engajadas em desenvolver coletivamente. Além dos projetos, é válido um mapeamento das organizações que estejam interessadas em realizar projetos em parceria. O mapeamento desses projetos, em vista de critérios que os qualifiquem com potencial para obtenção de financiamento de organizações filantrópicas, editais, entre outros meios de aquisição de grandes financiadores é um primeiro passo para alavancar as questões relacionadas com o fortalecimento das organizações;
  • Existem algumas formas de aprofundar o trabalho de democratização da pauta que possa atingir audiências externas à temática do movimento, abaixo algumas delas enumeradas:
  • Trabalho com Influenciadores e Multiplicadores de informações;
  • Trabalho de Assessoria de Imprensa e Comunicação Pública;
  • Trabalho com marketing digital utilizando plataformas como Google Ads (Grants para organizações formalizadas); e
  • Pesquisa de Audiências.

O Relatório na íntegra está disponível aqui.

Lista de organizações participantes:

Ameciclo | Recife

Andar a Pé DF | Brasília

Associação Move Cultura | Contagem

Bicicleta nos Planos e Bike Anjo | São Paulo

Brasília para Pessoas/Jane’s Walk Bsb/UniCEUB | Brasília

Caminha Rio | Rio de Janeiro

CCMob-Coalizão Clima e Mobilidade Ativa | São Paulo

Cidade Ativa | São Paulo

Cidadeapé | São Paulo

Coletivo Caminhada Jane Jacobs Floripa | Florianópolis

Coletivo MOB | Brasília

Corrida Amiga | São Paulo

Desvelocidades e BH em Ciclo | Belo Horizonte

Fundo Socioambiental Casa | São Paulo

iCS (Instituto Clima e Sociedade) | Rio de Janeiro

INCITI-UFPE | Recife

Iniciativa Bloomberg para a Segurança Global no Trânsito (BIGRS) | São Paulo

ITDP Brasil | Rio de Janeiro

Metrópole 1:1 | São Paulo

Milalá-A Liberdade de ir e vir | São Paulo

MobiRio | Rio de Janeiro

Olhe Pelo Recife-Cidadania a Pé | Recife

Pé de Igualdade | São Paulo

REMS | São Paulo

SampaPé! | São Paulo

UCB | representado por Fortaleza

WRI Brasil | Porto Alegre


Notas:

[1]: Não necessariamente estas atividades serão lideradas pelo Como Anda

[2]: A organização que mostrou ter experiência nesse processo foi o Bike Anjo, representado no evento pelo João Paulo Amaral.

Welcome to a place where words matter. On Medium, smart voices and original ideas take center stage - with no ads in sight. Watch
Follow all the topics you care about, and we’ll deliver the best stories for you to your homepage and inbox. Explore
Get unlimited access to the best stories on Medium — and support writers while you’re at it. Just $5/month. Upgrade