Moeda digital como forma de pagamento

Independentemente de como você se sente pessoalmente com relação à perspectiva de usar moedas digitais, é difícil negar que as criptomoedas geraram uma tonelada de dinamismo, tanto boas quanto ruins. Mas, de cada experiência, interna e externamente, há lições a serem tiradas. Embora ainda esteja em seus estágios iniciais de desenvolvimento, há benefícios para adoção antecipada.

Fazemos compras pela Internet há alguns anos, e cada vez mais confiamos na tecnologia para assegurar os dados dos cartões e nossos dados pessoais. Cada vez mais a utilização das criptomoedas como investimentos a longo prazo, têm somado à economia gradativamente. Acompanhamos as flutuações do mercado, as aplicações aumentam atreladas à confiança dos investidores no mercado, mas sabemos que utilizá-las como meio de pagamento somente, é novidade.

Na semana passada (01/11), um dos maiores sites informativos a respeito das criptomoedas, o Investing.com, anunciou a chegada da bestkoin, o dinheiro digital desenvolvido por um grupo de empresários em Dubai. O plano é para que a moeda não seja investimento, mas somente forma de pagamento. Inclusive os criadores do projeto fizeram uma parceria com a fintech brasileira Uzzo e com a Mastercard, que permitirá a conversão das bestkoins em divisas tradicionais, como reais ou dólares, no pagamento de compras e serviços por meio de um cartão pré-pago próprio.

O objetivo da parceria é que o produto seja uma alternativa mais barata e simples para turistas pagarem compras, eliminando tarifas e impostos relacionados a compras internacionais com cartões de crédito.

Os acordos para que a bestkoin seja aceita por agências de turismo brasileiras ainda neste ano, estão em andamento. O plano é de que parcerias similares sejam anunciadas ao longo de 2019 em regiões como Estados Unidos, Europa, Coreia do Sul, Japão e outros países América do Sul.

Entender o que é um ativo digital e o que a criptografia pode fazer para um consumidor e para as empresas é o primeiro passo. Para um modelo B2B ou B2C, aceitar a criptografia como uma forma de pagamento pode fornecer uma enorme vantagem em comparação com outros concorrentes dentro de um determinado setor.


Em entrevista para a Forbes, a Vice-Presidente Sênior de Marketing e Comunicações da Ripple, Monica Long fala sobre os benefícios que eles viram as empresas colherem dessa tecnologia. São eles os principais:

1) Velocidade das transações financeiras, um país de cada vez.

De acordo com Long, o período de espera associado à transferência de fundos de um país para outro pode levar um tempo extremamente longo para processar.

“Transferir dinheiro de um país para outro pode ser extremamente caro e demorado; seu dinheiro pode ficar no limbo por até cinco dias, o que é um absurdo quando uma empresa pode colocar esse capital para funcionar. Essa fricção nos pagamentos transnacionais levou as empresas a serem algumas das maiores defensoras da tecnologia blockchain e dos ativos digitais. Por exemplo, esses indivíduos estão pedindo a seus bancos que examinem esse campo como uma solução para seus problemas. Isso é benéfico para empresas menores que pagam fornecedores em outros países e têm margens apertadas. Ao utilizar essa tecnologia, essas lojas podem ajudar a reduzir seus custos e acelerar o tempo necessário para movimentar dinheiro ”, explicou.

2) Despesas de redução.

Até agora, todos nós sabemos que essa tecnologia pode ajudar a reduzir despesas, mas o que isso significa especificamente para as empresas?

  • Crescer o negócio atraindo novos clientes;
  • Redução de custos indiretos associados à aceitação de pagamentos dos clientes;
  • Sem intermediários e terceiros gerenciando e processando transações;
  • Taxas de processamento extremamente baixas para transações.

Adaptar a tecnologia à própria estrutura de negócios, independentemente de seu tamanho, pode ajudar a reter os clientes ou afastá-los. A bordo ou não, as empresas fariam bem em absorver análises de negócios mais fortes, refletindo o que os concorrentes estão ou não estão fazendo com seus negócios.

Embora existam muitos exemplos de grandes empresas que aceitam criptografia, como o Bitcoin, ainda não é um comportamento universalmente aceito. Ao educar os consumidores e o público em geral sobre o poder dessa tecnologia, poderia fazer a diferença no engajamento de um novo mercado.
Pois, em um dado momento, haverá um cliente chegando à porta de um negócio, perguntando se aceitam ou não criptomoedas; e precisa estar pronto para responder. A educação, independentemente de sua forma, é vital para um negócio continuar prosperando em nossa era digital.