Coletivo Feminista na Unisul surge com intuito de aprofundar o debate de gênero na Universidade

A partir de uma conversa entre algumas estudantes que já se sentiram ameaçadas dentro da própria Unisul, surgiu a ideia de um coletivo onde pudessem se sentir a vontade para desabafar, buscar e oferecer ajuda e discutir sobre questões de gênero. Após uma pequena reunião, se organizaram para o primeiro encontro aberto ao público, no caso, um sarau nomeado “As mina é tudo mana”.

Esse evento chamou a atenção de mais estudantes da Unisul, que estivessem interessadas e interessados em participar do coletivo, trazendo novas ideias e anseios para novas mudanças que possam transformar a universidade em um lugar cada vez mais acolhedor e igualitário.

Na última reunião do coletivo foi criada uma ATA, para facilitar a organização das propostas do mesmo. Com reuniões semanais, marcadas em um horário mais adaptável para a maioria, o grupo busca levantar qualquer pauta que acreditam merecer destaque para discutir o machismo na sociedade, e principalmente nas universidades.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.