Traços de depreciação

https://netnature.files.wordpress.com/2011/09/universo1.jpg

sinto nada

nada originado do tudo que invade meu ser e cada célula do meu corpo.

quando penso em você, hoje, meu peito estremece lentamente, e sinto nada.

sinto sua falta mas ao mesmo tempo quero fugir desesperadamente para o lado oposto e, lentamente, as duas vontades se anulam.

eu gosto de você, mas ao mesmo tempo, nada.

você foi por muito tempo, meu universo, o novo, o desconhecido. Hoje, vácuo.

Like what you read? Give G a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.