Quando me falam em franquia, eu respiro fundo!

GRANDE

parte dos brasileiros quer ser dono do seu próprio negócio.

Este movimento vem crescendo muito nos últimos anos, por diversos motivos como: falta de empregos, visão de alguma oportunidade, sonho de ter a própria empresa.

Para muitos, o caminho mais fácil é abrir uma franquia. E tudo o que as franqueadoras dizem, soa como boa música aos ouvidos de quem quer ter o próprio negócio. Você não precisa pensar em nada. Tudo está pronto: marca, modelo de negócios, padrão de construção, tabela de preços, custos, etc….

As franqueadoras exigem alguns pontos em relação ao futuro dono da franquia. A principal é: exclusividade no negócio. O que faz todo o sentido, claro.

Mas tem um ponto que poucos se preocupam inicialmente, que é: você será um empresário. Você sabe o que significa isso? Muita gente não tem ideia.

E este é o ponto que respiro fundo quando conversam comigo sobre abrir uma franquia.

Ok, vamos do começo!

O dono da franqueadora é um empreendedor. Ele teve a ideia, colocou em prática (do zero), fez a empresa crescer e abriu o modelo de franquias. Com certeza, o dono da franqueadora passou por um longo período de trabalho para chegar onde chegou. Muitos percalços ao longo do tempo. Muitos destes empreendedores escreveram livros e caso queira ler, é só procurar nas livrarias.

Já o futuro dono da franquia, não. Na maioria dos casos, ele sempre foi funcionário de alguma empresa ou nunca teve a experiência de gerir um negócio próprio. Ao abrir uma franquia, eu faço uma analogia que é a mesma coisa que pegar um avião em pleno vôo. Você terá que aprender muito rápido e mudar sua mentalidade muito rápido também.

Preste atenção: não subestime isso! Você não é um super herói ou um auto didata. Mudar tão rápido assim é muito doloroso e muita gente não consegue.

Quando cito mudar rápido, quero dizer em relação a tornar-se empresário da noite para o dia em um negócio já rodando. Não é nada simples.


Pausa para reflexão

Todas as vezes que vou em um restaurante e vejo que é franquia, pergunto: quem é o dono? Na maioria das vezes a pessoa me responde: “a pessoa nem mora aqui. Tem outras franquias dessa empresa e de outras também.” Refletindo sobre isso, podemos chegar a seguinte conclusão: sim, a pessoa é um(a) empresário(a) E o negócio de franquia, na maioria dos casos, ganha-se dinheiro no volume e não tendo apenas uma!


Eu sei que muitas franqueadoras oferecem treinamentos, workshops, etc para todos os seus franqueados. Isso é ótimo, mas o fator tempo deve ser respeitado. Muito provavelmente você não conseguirá absorver tudo e claro, nada como fazer as coisas na prática.


Darei um grande exemplo: um grande amigo meu é dono de uma empresa que oferece sistemas de gestão (software) para redes de franquias. Ele atende um número expressivo de redes e tem muitos dados para analisar. Uma vez perguntei: “os franqueados utilizam a parte financeira e contábil do sistema?” Ele me disse: “claro que não. Nem sabem o que é contabilidade. Quem normalmente usa é a pessoa que tem várias franquias”.

Ao abrir uma franquia você terá que lidar com inúmeras situações que provavelmente não estarão relacionadas com o negócio da franquia em si. Os dois principais são: funcionários da sua franquia e burocracia brasileira. Se você nunca teve experiência com isso, pode ter certeza que vai perder muitas noites de sono.

Com isso, antes de pensar em abrir uma franquia, tenha os pés no chão. Siga alguns passos simples, como:

  • Faça um estudo detalhado da franqueadora
  • Entenda de finanças e contabilidade (estude)
  • Veja os concorrentes na sua região, questione estes concorrentes sobre o negócio deles atual
  • Viaje para outras regiões que tenham a franquia que você quer abrir e converse com os donos sobre o negócio
  • Faça pesquisa de mercado na sua região sobre a franquia que você quer montar
  • Monte um plano de negócios pessimista e veja se você terá caixa (dinheiro) para aguentar um período turbulento no início
  • Estude muito bem o setor de atuação da franquia que quer montar. Caso você não tenha experiência prévia no setor, estude muito!
  • Negocie com os franqueadores o máximo que puder. Eles podem flexibilizar mais o negócio para você
  • Converse com um contador, estude os impostos, analise as margens líquidas do negócio (não tome como base apenas os números que o franqueador mostrar). Sugiro você pagar o contador por esta consulta.
  • Analise os preços cobrados pela franquia em relação ao seu mercado. Um cliente pagará o valor?
  • Não comece executando tudo. Planeje, planeje e planeje. Só não vale enganar você mesmo!

Por último e muito importante: analise quanto sobra para você de dinheiro e se isto é equivalente ao que você quer ganhar. Depois de tudo isso feito, você pode refletir bem para abrir uma franquia.

Enjoy and let’s talk!


Originally published at Consultor Oculto.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.