Não quero. Não hoje.

Não quero te deixar ir, não hoje.

Quero que fique um pouco mais, ao menos até eu me conformar com as centenas de vezes que desejei que fosse.

Deixe seu suor nos lençóis.

Deixe-me sentir cada cheiro da noite passada, cada um dos tons do teu perfume.

O cheiro da tua perna.

Do teu cabelo.

Das tuas mãos.

Deixe todos eles no lençol.

Deixe sua unha em minhas costas. Em meu peito.

Deixe a marca da tua boca em meu pescoço.

Marque.

Deixe o escarlate se misturar a nós.

Deixe tua blusa dos Lakers pelo quarto.

A tua calça rasgada.

Deixe as tuas músicas do Tim Maia.

Os teus discos dos Strokes.

Deixe os teus livros do Jorge Amado.

Deixe tudo isso.

Deixe as tuas cores prediletas.

Deixe os teus palavrões mais usados.

Deixe o teu sexo no carro.

As tuas posições favoritas.

Deixe os teus fetiches.

Deixe o teu sono pela tarde.

A tua vontade de dormir mais 5 minutos.

O teu trabalho de madrugada.

Deixe a tua ressaca.

As tuas danças depois de um noite a beber.

Deixe!

Deixe os teus pés batendo durante a briga.

A tua ligação de reconciliação.

Deixe as tuas piadas.

As tuas crises familiar.

Deixe o teu lugar.

O teu beijo.

O teu ficar.

Deixe.

Só ouse partir depois de deixar cada pedaço teu em mim.

créditos da imagem: pixabay.com