(Espera)nça

As crianças possuem uma imaginação inspiradora. Com um galho seco conseguem imaginar um taco de golfe e com um limão caído do pé imaginam a bola. O buraco não precisa ser físico, basta a pessoa imaginar que em um ponto x do terreno há um, que lá está.

Aos 7 anos, Marta também tinha muita imaginação. Conversava com todas as suas bonecas e bonecos de super herói, conversava até com seu caminhão em miniatura. Contava sobre seu dia, sobre a escola, sobre seus pais e sobre sua vida em geral. Um dia ela falava com o caminhão, outro com o boneco do Spider Man, outro com a boneca da Alice do País das Maravilhas… Cada brinquedo possuía páginas diferentes de um diário imaginário.

Certo dia a menininha de cabelos negros e ondulados ganhou um cachorrinho de pelúcia. Ele era marrom “cor de café com leite” e tinha olhar negro profundo. Esse cachorrinho passou então a também colecionar histórias. Inclusive com o tempo ele passou a se tornar mais especial, pois ela começou a falar coisas mais profundas para ele. Martinha começou então a dormir com o seu amigo que virou seu conforto, e era tão bom abraçá-lo.

O cachorrinho virou seu melhor amigo. Sabia tudo da menina. Ela até continuava a contar as histórias para os outros brinquedos, porém Lóren era quem possuía as histórias mais importantes e os segredos mais sagrados.

Lóren sumiu.
Onde está Lóren?
Cadê?

Marta entrou em desespero. Procurava-o e não o encontrava. 
Durante prantos desabafava para os outros brinquedos e perguntava-os onde Lóren poderia ter ido.

Enquanto a garotinha chorava já com olhos inchados, a mãe de Marta falou algo que hoje a moça ainda carrega: “amizade é um sentimento muito forte para sumir, filha. A amizade verdadeira sempre volta. Espere um pouco mais.”

Então ela esperou um pouco mais.
Um pouco mais. 
E um pouquinho mais.
Marta pensou.

Logo ela aprendeu que independente de quanto tempo durasse, um dia Lóren poderá voltar, se sentir amizade. O cachorrinho pode ter se sentido desgastado com tantas histórias e tanto foco nele mesmo. É muita pressão pra ele, e não era essa a intenção da garota. Lóren precisou de um tempo para descansar. Lóren um dia pode voltar depois desse descanso, pois independente do desgaste e cansaço, a amizade é mais forte.

Marta esperou.

O ursinho voltou após quatro dias (ele estava se escondendo no fundo das roupas do guarda roupa e depois de descansar chamou por ela) e Marta voltou a ter uma amizade linda com Lóren. Porém agora tomando cuidado para não desgastá-lo. Não quer sofrer de novo a possível perda de seu melhor amigo.

Agora já é moça, e Marta ainda carrega o dizer de sua mãe. Tiveram pessoas que a deixaram. E apesar do estresse, rancor, e até mesmo desprezo, aquelas que sentem amizade sempre voltam. Uma pessoa levou um ano. Outra, três anos e meio. Agora se pergunta quanto tempo poderá levar a próxima.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.