Abel não será o técnico do Inter

Play it again Abelão

Tenho ouvido muitas especulações sobre o novo técnico do Inter. É difícil escutar tanta bobagem, quando tu sabes a verdade sobre o que está acontecendo (e sem falsa modéstia, sobre tudo que já aconteceu e acontecerá na vida colorada).

Vou esclarecer tudo para vocês, para que nós possamos passar para outros assuntos mais interessantes do que quem vai liderar a temporada fracassada do Inter em 2018.

De maneira esquemática:

1. O Inter não queria contratar Roger. Se o Inter quisesse contratar Roger, teria contratado Roger.

Essa história do Roger é coisa de jornalista, que A) gosta do Roger porque o Roger faz ele se sentir mais esperto e melhor sobre ser alguém que passa o dia falando sobre outras pessoas jogando bola e B) precisa encher o mesmo número de páginas sobre Inter e Grêmio, mesmo que o Inter seja um clube sem rumo que já desistiu do ano e o Grêmio esteja na final da Libertadores.

2. Até os mais tolos já se deram conta que o Inter não tem um perfil de técnico em mente.

Palavras como “estudo”, “experiente” ou “com comando de grupo” são só símbolos que ocupam o lugar do que os dirigentes realmente pensam: “um dos caras de sempre”, “um embromador” ou “alguém que finge escutar minhas opiniões, enquanto na verdade está mais próximo do coma do que de um nível consciência superficial dos acontecimentos”.

Além disso, quando tem tempo o cartola colorado procura alguém que aceite ganhar R$ 300 mil.

3. O que nos leva a Abel Braga, talvez o número 1 entre os caras de sempre.

Abel é um treinador que já tem tantas passagens pelo Inter que poderia acumular roupa suja em outros lugares e trazer para lavar no Beira Rio.

Vão tentar o Abel achando que ele vai aceitar isso por motivos sentimentais, visando reconstruir o Inter rumo a… rumo a… rumo a qualquer situação menos deprimente que o presente, o que inclui basicamente qualquer coisa.

O fato: ele não vai. Ele vai pedir R$ 600 mil, porque ele não tem nada a perder. Se não fechar agora, fecha em 4 anos. Enquanto o Inter titubeia, alguém vai oferecer R$ 400 mil e acesso a um piano e o Abel vai topar.

4. Com o Abel fora do baralho, começa um período frenético.

É o momento no qual os dirigentes do Inter tem a súbita realização de que é perfeitamente possível que o Inter comece o ano de 2018 sem nenhum treinador se nenhum treinador for contratado: o desespero crescerá com o passar dos dias na mesma proporção do clamor pela contratação de um nome, qualquer nome, o quanto antes.

É claro, a pressão atinge o ponto máximo na proporção inversa da quantidade de nomes disponíveis do mercado. O padrão de decisões que emerge de um cenário desse tipo será familiar a qualquer um que frequente a vida noturna depois das quatro horas da manhã.

É para esse momento que a imprensa esportiva gaúcha vive. Serão desarquivadas especulações habituais: matérias sobre Marcelo Bielsa ou quem quer que seja o treinador do Lanús. Vanderlei Luxemburgo: ele está defasado? Paulo Autuori, Cristóvão Borges, Eduardo Baptista, Adilson Baptista. Celso Roth, evidentemente.

Ney Franco sabe tocar violão, Rogério Micale tem boa relação com Valdívia, Jorginho é amigo de Dunga. Alguém se perguntará: por que o Inter não contrata o Carpegiani? Alguém responderá: porque alguma-coisa-Ibsen-Pinheiro.

5. Evidentemente, nada disso será verdade, nem de forma incidental.

A única especulação verdadeira será a do ouvinte que ligar para a Rádio Grenal entre as três e as quatro horas da madrugada da noite de Natal ou da noite de Ano Novo.

Esse ouvinte não será um gênio. Permitam-me ser enfático em relação a isso: quem ligar para a rádio Grenal entre as três e as quatro horas da madrugada da noite de Natal e da noite de Ano Novo não será um gênio.

Trata-se apenas de alguém que vive no limiar entre o desespero e o nada absoluto, entre a loucura e a profecia.

Trata-se apenas de alguém que vive no estado mental em que Roberto Melo se encontrará ao ler no jornal que Enderson Moreira renovou contrato com o América Mineiro e, meu Deus, Enderson Moreira era uma opção.

5. Finalmente, vão contratar o Cuca por R$ 650 mil na segunda semana de janeiro.

6. Pronto, ninguém precisa se preocupar mais.