Diário de viagem: da UFSC a UFG

por Priscila dos Anjos

Terceiro dia de Conune

O dia anterior à Plenária Final foi marcado por plenárias internas — entre os movimentos — e manifestações.

A greve nacional de técnicos administrativos das universidades federais, que também ocorre na UFSC, paralisou os serviços na Biblioteca Universitária da UFG. A não retirada de ganhos administrativos e judiciais,o aumento em 27,3% no piso e o direito de afastamento para realização de estudos de pós-graduação são pautas da categoria.

Segundo dia de Conune

A praça Universitária Honestino Guimarães tomada por diversas tendas de movimentos estudantis mostra que o 54º Congresso da UNE está longe de ser um evento de integração de estudantes.

Oito chapas estão defendendo suas teses (conjunto de ideias que apontam caminhos para a conjuntura da UNE) nesta edição do Conune. Na Plenária Final — último dia de evento, em 7 de junho — todas as propostas serão votadas entre os delegados (estudantes escolhidos por votação nas universidades) e serão escolhidos, também por meio de voto, 17 diretores executivos, nos cargos de presidente, vice-presidente, secretaria geral e de comunicação.

O primeiro dia de debates do 54º Congresso da UNE trouxe 23 discussões de temas como Combate ao machismo, Empresas juniores e Direitos humanos. A redução da maioridade penal foi um dos assuntos mais discutidos. Palestras como “Combate ao racismo” e “Regulação da mídia” citaram o tema.

“Redução é roubada”

Serão aproximadamente 30h de viagem de ônibus rumo ao 54º Conune, em Goiás. E se o wi-fi permitir escreverei sobre a minha passagem por Paraná, São Paulo e Minas Gerais

Chegamos em Goiânia às 6h da manhã. Os motoristas erraram três vezes o caminho, então a viagem que tinha duração prevista em 1 dia e 4h acabou alongando-se por mais seis horas.

Hoje acordei pensando que estava em casa, pois como em um dia letivo meu despertador tocou. Eram 6h da manhã, e percebi que não estava em casa quando outros despertadores berraram também, pelo menos eu estava dividindo a culpa de acordar parte dos 41 estudantes.

O ‘ transformer’ da UFSC em Ponta Grossa, Paraná
Selfie da Chapa Une é pra lutar!

Saímos de Florianópolis as 20h30 em direção a Curitibanos para pegar alguns estudantes do campus da cidade. De lá só paramos nos vários pedágios que existem entre Santa Catarina e Paraná. Para pagá-los tivemos que contribuir com R$ 5 cada.

Segundo o organizador da viagem, a UFSC contrata o serviço Sem Parar — um aparelho pré-pago instalado no ônibus que permite que o veículo passe pelo pedágio “sem parar”. Como o contrato entre a UFSC e a empresa não foi renovado, o pagamento tem que ser feito manualmente, e pelos alunos.

Daqui a pouco embarco em uma viagem com duração de 1 dia e 4h rumo à Goiânia, GO. Na mala, colchão, barraca, lanches e roupas de verão, pois na cidade as temperaturas estão variando dos 20º a 31º. Provavelmente não chegarei a tempo da abertura do evento, que ocorre as 18h do dia 3 de junho. A programação do congresso está muito boa! Dá uma olhada!