Diário de viagem: da UFSC a UFG

por Priscila dos Anjos

Terceiro dia de Conune

O dia anterior à Plenária Final foi marcado por plenárias internas — entre os movimentos — e manifestações.

A greve nacional de técnicos administrativos das universidades federais, que também ocorre na UFSC, paralisou os serviços na Biblioteca Universitária da UFG. A não retirada de ganhos administrativos e judiciais,o aumento em 27,3% no piso e o direito de afastamento para realização de estudos de pós-graduação são pautas da categoria.

Segundo dia de Conune

A praça Universitária Honestino Guimarães tomada por diversas tendas de movimentos estudantis mostra que o 54º Congresso da UNE está longe de ser um evento de integração de estudantes.

Oito chapas estão defendendo suas teses (conjunto de ideias que apontam caminhos para a conjuntura da UNE) nesta edição do Conune. Na Plenária Final — último dia de evento, em 7 de junho — todas as propostas serão votadas entre os delegados (estudantes escolhidos por votação nas universidades) e serão escolhidos, também por meio de voto, 17 diretores executivos, nos cargos de presidente, vice-presidente, secretaria geral e de comunicação.

O primeiro dia de debates do 54º Congresso da UNE trouxe 23 discussões de temas como Combate ao machismo, Empresas juniores e Direitos humanos. A redução da maioridade penal foi um dos assuntos mais discutidos. Palestras como “Combate ao racismo” e “Regulação da mídia” citaram o tema.

“Redução é roubada”

Serão aproximadamente 30h de viagem de ônibus rumo ao 54º Conune, em Goiás. E se o wi-fi permitir escreverei sobre a minha passagem por Paraná, São Paulo e Minas Gerais

Chegamos em Goiânia às 6h da manhã. Os motoristas erraram três vezes o caminho, então a viagem que tinha duração prevista em 1 dia e 4h acabou alongando-se por mais seis horas.

Hoje acordei pensando que estava em casa, pois como em um dia letivo meu despertador tocou. Eram 6h da manhã, e percebi que não estava em casa quando outros despertadores berraram também, pelo menos eu estava dividindo a culpa de acordar parte dos 41 estudantes.

O ‘ transformer’ da UFSC em Ponta Grossa, Paraná
Selfie da Chapa Une é pra lutar!

Saímos de Florianópolis as 20h30 em direção a Curitibanos para pegar alguns estudantes do campus da cidade. De lá só paramos nos vários pedágios que existem entre Santa Catarina e Paraná. Para pagá-los tivemos que contribuir com R$ 5 cada.

Segundo o organizador da viagem, a UFSC contrata o serviço Sem Parar — um aparelho pré-pago instalado no ônibus que permite que o veículo passe pelo pedágio “sem parar”. Como o contrato entre a UFSC e a empresa não foi renovado, o pagamento tem que ser feito manualmente, e pelos alunos.

Daqui a pouco embarco em uma viagem com duração de 1 dia e 4h rumo à Goiânia, GO. Na mala, colchão, barraca, lanches e roupas de verão, pois na cidade as temperaturas estão variando dos 20º a 31º. Provavelmente não chegarei a tempo da abertura do evento, que ocorre as 18h do dia 3 de junho. A programação do congresso está muito boa! Dá uma olhada!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.