Reflexões Paulistas

— Aos amigos e amores que trazem leveza à vida.

Noite paulistana

A céu aberto no alto da torre de concreto

Vejo Lua, Marte, estrelas

Ao longe os prédios, as luzes, o som das vias

Aqui escuridão e silêncio

Vento frio

Me sinto desperta e viva

Não penso, mas sinto

As possibilidades, a mudança

A vida que continua e segue

E a beleza disso tudo

A vida lá fora

E a vida em mim

[Quase] nada é certo

E a incerteza pode ser angustiante, assustadora

Mas também linda, linda.

Quando a vida te reserva

Bons encontros

Felizes encontros

Cheios de amor, cumplicidade,

Risadas e sorrisos

O amor que existe em mim

Floresce e me preenche

E me escapa

Quer alcançar o mundo inteiro

Me sinto forte, valente, capaz

Com vocês ao meu lado, me sinto invencível.

Viver pode ser duro, o mundo também

Mas juntos flutuamos acima da dureza do concreto,

Entre sonhos e planos loucos

Rindo dos absurdos da vida e de nós mesmos

Com esperança por dias melhores,

Às vezes não

Mas nos socorremos e seguimos

Trôpegos, bobos, mas unidos e vivos.


Dia campineiro

Céu azul

Carinhos e gentilezas de estranhos

Bebo café e escrevo.

Me sinto sentimental e boba

Mas feliz.