Podem os robos curarem sua neurose?

Considerando que o cérebro humano é uma máquina de reconhecer padrões e que ao longo da vida somos treinados e retreinados para cada vez apresentar melhores resultados. Não seria relevante a analogia de pensar que toda essa carga de treinamento, como em um algoritmo de aprendizagem de máquina — que fora excessivamente “treinado” com dados viciados e que passe a ter um comportamento anormal ou sub-ótimo?

Transtorno obsessivo compulsivo, esquizofrenia, depressão podem ter fundo em padrões mentais de memórias excessivamente treinadas ou conexões defeituosas.

Será que não podemos cuidar disso com retreinamento do algoritmo? Sim, isso se parece com psicoterapia.

Está mais que na hora psicoterapia aprender computação e neurociências ou tenderá a se tornar obsoleta.

Daqui a pouco estaremos detectando exatamente o ponto do cérebro onde cada memória está armazenada e como reescrevê-la química e fisicamente.

Like what you read? Give Carlos Alvaro Quintella a round of applause.

From a quick cheer to a standing ovation, clap to show how much you enjoyed this story.