Essipê.

São Paulo, a cidade que não para, a terra da garoa ou a selva de pedra. Seja como for, essipê é uma peculiaridade para quem chega a trabalho ou viajando. Uma cidade rodeada música que representa um país inteiro, bares dos mais diversos temas, eventos dos mais diversos gostos, e atividades culturais que que fazem dessa cidade uma experiência multicultural impressionante, e que se renova e impressiona até mesmo quem nasceu aqui.

Em cada região você se sente em um amebiente totalmente diferente, como se estivesse mudando de uma cultura para outra a cada estação do metrô, do corporativo ao descolado, do boêmio ao artistico, do político ao religioso, entre povos de culturas diversas como japonesa, italiana, africana entre tantas outras que compartilham do mesmo espaço. Ambientes que não se diferenciam de cidades como Berlim ou Paris.

Entre tantas expressões arquitetônicas de Bo Bardi, passando pelas curvas de Niemeyer, até a arquitetura europeia alemão Franz Heep e do Italiano Marcello Piacentini, é evidente o toque urbanista multicultural que desde muito tempo esteve presente na rotina de mais de 20 milhões de habitantes dessa metrópole.

São Paulo, é um lugar que realmente não para, não espera, que vai, que volta e que sabemos que sempre teremos um lugar de incrível interação cultural, onde nos sentimos acolhidos, independente da sua origem. Temos diariamente um choque cultural imenso e ficamos submersos e absorvendo tudo isso de forma que não percebemos o quanto isso é incrivelmente gratificante.