Por que o Marketing Tradicional não Funciona Mais?

Já foi quase como briga de futebol. Hoje já não é mais. Talvez pela insistência, mas acredito que foi mais pelo resultado. Ou pode ser por Harvard mostrar dados de que os negócios que passam por transformações digitais possuem 4 vezes mais chances de terem sucesso dos que lutam contra isso. Isso vale para todas as áreas de um negócio que se mantém no tradicional. Inclusive o marketing tradicional.

Esse dado de Harvard, em específico, diz muito. Significa que, em breve, todos os negócios serão digitais. Isso porque somente eles vão sobreviver. Somente os negócios que entraram de cabeça no mundo digital é que terão suas histórias contadas. E isso é urgente.

Mas, por quê?

Por que as coisas não funcionam mais como antes? Por que elas mudaram? Por que parece que tudo virou de ponta cabeça do dia para noite e agora, todo mundo só fala de marketing digital, e que o marketing tradicional não funciona mais?

São boas perguntas que felizmente já possuem respostas. Em um documentário realizado no meuSucesso.com chamado Go n’ Grow, o CMO da Evernote, um aplicativo que ajuda nas tarefas diárias para que sejam executadas com mais produtividade, disse: “Há 20 anos atrás, uma informação geral levava 13 anos para ser atualizada em média”. Isso serve para qualquer coisa, desde uma nova versão de TV, uma nova versão de história e etc.

“Em 2020, a mesma informação estará atualizada a cada 13 segundos”, disse o CMO. E essa é uma boa resposta dos motivos das coisas estarem mudando tão rapidamente e tão radicalmente. Vivemos em tempos de velocidade da luz. Se você compra um produto hoje, é possível que mês que vem ele já não esteja atualizado.

Veja o exemplo da Apple, que agora lança novas versões de seus produtos quase que todo ano. E diversas empresas, dos mais variados setores, fazem o mesmo. Isso reflete diretamente no modus operandi do marketing. Como o marketing tradicional era feito, hoje simplesmente já não se opera. Tanto internamente, como externamente.

Marketing Tradicional não funciona nem dentro e nem fora

Internamente, porque a velocidade exigida de uma equipe de marketing digital é bem diferente de uma equipe de marketing tradicional. Brainstormings foram substituídos por Sprints. Desenvolvimento de cartazes são substituídos por plataformas e marketplaces. O Outdoor foi substituído pela pequena tela do celular.

Hoje, um negócio pode ser criado em 24 horas, e com isso o seu plano de marketing básico também. A era do Plano de Mídias, extenso e caro acabou. A impressão de folhetos e capas de revista foram substituídos por banners digitais em sites populares.

O Marketing tradicional também não funciona externamente, visto que o hábito de consumo mudou. Como dito acima, o consumidor não está mais olhando ao redor. Ele está olhando para baixo: a tela do seu celular. E é ali que você deve estar.

Lojas físicas, as que ainda existem, estão criando novas táticas para chamar a atenção. São escritos e banners colados no chão. Pois sabem que seu consumidor entra na loja de cabeça baixa, olhando para o celular.

Porém, se seu objetivo é ser efetivo, você deve estar na tela do celular dele. Seja com uma campanha de anúncios no Facebook ou alguma postagem que chame atenção no Instagram. É isso que ele quer ver. E é assim que ele consome hoje.

O consumidor não vai mais atrás do produto. O produto é que atrai o consumidor. E as empresas também não estão atrás dos consumidores. Os consumidores é que são atraídos pelas empresas.

A Era das 5 Estrelas

Veja por exemplo, as avaliações disponíveis em todos os locais que você navega na internet. Elas estão ali e você precisa lidar com elas enquanto empresa, pois muito da decisão de compra de um cliente vem dessas avaliações anteriores.

Até pouco tempo atrás, muitas empresas lidavam com suas crises perante o consumidor de uma maneira omissa. Dificilmente alguém cliente insatisfeito teria alcance o suficiente para causar impacto na marca.

Hoje, basta um vídeo enviado para as redes sociais ou uma avaliação ruim para que o caos se instaure. Se essa pessoa ainda for uma influenciadora digital, prepare-se para o possível fim do seu negócio. E é assim que as coisas funcionam nos dias de hoje.

Uma empresa hoje, necessariamente, PRECISA lidar com a gestão de crises. E não saber lidar com isso significa a ruína em potencial do negócio. Já foi a época de omitir ou seguir em frente. Nos dias de hoje, as empresas precisam LIDAR de frente com situações adversas.

Por isso, voltando ao dado fornecido por Harvard, suponho que nenhum negócio que não sofrer a transformação digital estará vivo nos próximos 10 anos. Afinal, sobrevive o mais forte. E o mais forte é sempre o mais preparado.

Adapte-se

Vale lembrar uma outra situação. Você está andando na rua com seus fones de ouvido. Passa por uma esquina e uma moça simpática tenta lhe entrega um panfleto. Por educação você pega. Na próxima esquina, você joga o panfleto no primeiro lixo que vê sem nem observar do que se tratava.

Na outra esquina, a mesma coisa. Mas, dessa vez você rejeita o panfleto. Ele nem sequer chegou nas suas mãos. Você segue em frente ouvindo a sua música rumo ao seu destino.

Agora, pense nas empresas que mandaram imprimir milhares de panfletos como aqueles. Eles pagaram um designer para desenvolver a arte do panfleto. Eles pagaram uma gráfica para imprimir os milhares de panfletos. Eles também pagaram para as moças simpáticas para distribuir esses panfletos.

E qual foi o retorno de investimento? Será que eles sabem? Será que existe como saber isso? Como se mede quantas pessoas se transformaram em seus clientes porque receberam um panfleto na rua?

É muito provável que eles não saibam. São empresários atirando dinheiro no escuro sem nenhuma expectativa de retorno. O velho “o que vier é lucro”. E bem, não vai ser.

Lugar certo, pessoa certa

E agora volte a pensar em você com o seu fone de ouvido. Você escuta sua música, mas entre uma ou outra, pode aparecer uma propaganda. Ela está lá e você se interessa pelo que está ouvindo. Existe uma chance de você pegar o celular na mão para passar a propaganda. E então, você vê o anúncio. Se ele for bem construído e chamativo, você pode, quem sabe, clicar no botão.

E boom! Está aí uma conversão. Uma visita no site. Seria o mesmo que visitar a loja que você pegou o panfleto. Mas, você não precisou ir até lá. A empresa atraiu você.

Consegue perceber a diferença? Estar no lugar certo e na hora certa já é muito bom. Agora, ainda ter a entrega para a pessoa certa é muito mais do que você poderia escolher. É como entregar o seu panfleto somente para as pessoas que tem um interesse genuíno no seu produto ou no seu serviço.

É por isso que o Marketing Tradicional está morrendo. E, se a profecia do CMO do Evernote se concretizar, ele está enterrado em muito breve.

As vantagens do Marketing Digital

No exemplo que falamos, de estar andando com o seu fone de ouvido, nós podemos ir ainda mais fundo nos motivos de porque o marketing tradicional está sendo substituído pelo digital. E uma delas, é que o marketing digital aprende e cresce sozinho.

Através de algoritmos cada vez mais avançados, os anúncios entendem que tipo de pessoa é o seu consumidor e como ele se comporta. Inclusive, as músicas que ele escuta. Logo, é provável que você comece em pouco tempo a ver anúncios de produtos e serviços que interessam a você e passe a ouvir cada vez menos do que não te interessa.

Não somente nesse exemplo do fone do ouvido, mas isso pode ser expandido para qualquer área de nossas vidas. Através de inteligência artificial, o marketing evolui e torna as coisas cada vez mais cômodas para o consumidor.

Comprar exige conforto. Quanto mais confortável você estiver, maiores as chances de continuar comprando. As empresas que estão a frente no marketing digital sabem disso. E por isso, conseguem entregar conteúdo relevante para o seu público alvo, no canal de comunicação que ele mais prefere. No horário e dia que mais prefere.

O hábito de consumo mudou. E você precisa lidar com isso.

Percebe como o marketing tradicional não tem mais espaço nessa jogada? Ninguém mais quer saber de propaganda e ligações frias. O vendedor precisa ser o melhor amigo do consumidor no momento da compra. É necessário um relacionamento honesto, de cumplicidade, para que a venda ocorra.

Empresas inteligentes estão fazendo isso através de estratégias de conteúdo de extremo valor para os seus clientes. Eles ajudam a curar dores e a solucionar problemas. E somente depois vendem. A venda em si é quase que um plus por todo o serviço oferecido pela empresa.

Não são raros os casos de consumidores que se sentiam na obrigação de pagar por conteúdos gratuitos de empresas que atuam com marketing digital. E talvez você se pergunte: como isso é possível? Como eu faço isso?

Afinal, que empresa não deseja que o seu cliente se sinta na obrigação de te dar dinheiro por alguma ajuda?

Não era assim que as coisas funcionavam no marketing tradicional. No marketing tradicional, o esforço pela venda era homérico. Não a toa desenvolveram-se centenas de técnicas de vendas e persuasão para que se conseguisse atingir maiores metas de vendas. Outras centenas de técnicas de liderança e motivação para manterem a motivação dos vendedores em bater as metas.

Pois é. Mas, definitivamente as coisas mudaram. E para melhor, para todos os lados. O atrito é reduzido e a satisfação alavancada. Repito, o marketing tradicional não tem mais espaço nessa jogada.

O esforço desprendido para se caçar uma única borboleta é múltiplas vezes maior do que o esforço para cuidar de um jardim. Jardim esse que irá atrair centenas de borboletas em um único dia.

O Marketing de Jardinagem

O Marketing digital nada mais é que a cultura de se cuidar do jardim. Enquanto no marketing tradicional exigia-se que um caçador fosse onde era possível para encontrar uma borboleta, em um esquema que dependia de cada vez mais e mais caçadores, no marketing digital você elimina todo esse esforço em vão e reduz custos.

Ao invés de ter 10 caçadores através de poucas borboletas, um único jardineiro consegue atrair centenas. E por isso as empresas antenadas estão deixando o marketing tradicional de caçar borboletas para trás e aderindo ao marketing digital da jardinagem.

Novos Negócios não conseguem escalar com o marketing tradicional

No passado, para se conseguir uma fatia de mercado para um produto, você precisava de muito investimento em marketing. Alcançar o seu público não era fácil. E isso era terrível para novos empreendedores que não tinham como financiar campanhas caras e longas de marketing.

Logo, o monopólio era de quem possuísse já uma marca consolidada, com caixa para investir nos canais de comunicação de massa, como revistas populares e canais de TV.

Hoje, isso tudo é muito mais dinâmico. É possível ter um negócio sustentável sem depender de anúncios em canais de grande massa. Com a internet, você pode facilmente abrir um negócio online e com investimento de baixo custo, atingir seus primeiros potenciais clientes.

Esse é mais um dos motivos de o marketing tradicional não funcionar mais. Ninguém mais precisa dele, ou quase ninguém. Os que ainda dependem, estão com seus destinos certos na estatística de Harvard. Portanto, é bom que consigam prestar atenção onde estão colocando seus orçamentos de marketing antes que seja tarde.

A melhor escolha é o digital

Simples. Rápido. Prático e com baixo investimento de mão de obra. Assim é o marketing digital. Investir numa boa estratégia de marketing digital vai querer retornos que nunca seriam possíveis com o marketing tradicional.

Lucro é o objetivo de todo negócio. Sendo assim, quanto menos esforço e maior esse lucro, melhor é o negócio. Ao invés de brigar por pequenas parcelas de lucro, o marketing digital traz a possibilidade de ganhos ilimitados com um único investimento.

Aprendizado contínuo, retornos constantes e possibilidades de automações. Mais lucro, menos esforço e mais eficiência baseado em dados. Não há mais motivos para acreditar que o marketing tradicional ainda tenha alguma chance no futuro.

Quanto antes você agir, antes vai estar seguro do futuro do seu negócio, que muitas vezes representa o seu sonho de vida.

Caso queira conversar mais sobre o tema, basta entra em contato comigo pelo e-mail: cris@aspis.digital

Um Grande Abraço!

Cris Cáceres