Dualidades

Há uma certa incoerência na morte: essa, que vem calar e paralizar, apenas ocasiona mais movimentação, lágrimas e gritos. É como se gostasse de chamar atenção de forma sutil. No mínimo, contraditório. Dualidade entre a gratidão pelo que se teve e saudade do que não mais existe entre nós. Algo simples, natural, com uma força descomunal. Como um pôr do sol, cujo espetáculo de beleza atinge às pessoas, a morte, em toda sua naturalidade, provoca os mais indizíveis sentimentos a quem ainda não a alcançou. Ainda. Seres vivos ou seres a morrer? Rosas para os mortos que não mais podem perceber os vales floridos em vida. É por isso que colocamos flores sobre o caixão: o retorno ao pó é usar a flor como adubo, tudo volta de onde veio. A morte é a única amiga que nos pode dar certeza em vida.

Cris Guedes
One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.