Vamos falar sobre o que incomoda?
Gustavo Tanaka
1578

Eu também nunca gostei de conflito.

Tive um tempo em que tudo para mim estava bom, mas hoje em dia não é mais assim.

Também já me consideraram fácil de conviver.

Sou simpática e séria.

Eu queria tanto ser divertida, mas ainda não encontrei esse meu lado. Fico feliz em ser simpática.

Eu dificilmente expressava as minhas emoções, mas agora estou em uma fase em que as expresso. Não sempre… estou aprendendo sobre mim.

E nesse momento ando meio que em um estado depressivo que altera da tristeza para a euforia.

Tenho horas que não quero sair da cama e aí em outro momento, uma alegria do nada me invade: sinto vontade dançar, de abraçar árvores, sinto um ânimo para fazer as coisas e aí passa.

Aí vem uma angústia, uma série de reflexões.

Qual é a minha dificuldade em ser feliz, poxa?! Porque eu não sigo meu coração, caramba?! Eu quero ser eu!! Cadê a minha espontaneidade?

Aí eu fico estagnada. É nesse momento em que estou. Começo a me sentir presa. Mas presa ao que?

Ao meu ego.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Cristiane M. de Matos’s story.