O mínimo esforço possível pra transar com um cara — e como isso melhorou minha vida sexual
Débora Nisenbaum
1.3K61

O texto fala bem para mulheres inseguras que precisam da aprovação dos outros (homens ou outras mulheres), mas da forma que você coloca as situações, parece que apenas a ideia de se encontrar com um homem é responsável pelos rituais de maquiagem, manicure etc. Então eu gostaria de pontuar que não é assim sempre. Registro meu exemplo aqui e tenho certeza que muitas mulheres pensam como eu. Pinto o cabelo quando me dá vontade, passo meses com meus fios brancos brilhando (acho belo) e aí um dia eu resolvo pintar, muitas vezes para ficar em casa comigo mesma. Tenho uma coleção de esmaltes mas passo a maior parte do tempo sem fazer as unhas, e não é um encontro que me faz correr para a manicure. Uso maquiagem até para ir à padaria, mas se eu dormir com um cara não tenho o menor problema em acordar ao lado dele com a cara borrada de rímel, acho até bacana essa cara de dia seguinte, depilação eu faço quando acho que preciso dar uma refrescada na "bibica” deixá-la respirar. Adoro os rituais de escolher roupa, de maquiagem, de me “fantasiar” e tanto faz com quem eu vou encontrar, ao mesmo tempo já apareci num encontro com sacolas de mercado embaixo do braço (tava ao lado do mercado) o que assustou o cara, muito mais do que a falta de maquiagem. Ou seja, precisamos considerar que nós mulheres podemos sim, ter sido educadas (com frequencia) a parecer bonequinhas para agradar os outros, mas que muitas vezes queremos agradar a nós mesmas e a mais ninguém. Não podemos julgar as outras com base em uma análise superficial sem conhecer a personalidade de cada uma.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Cristiane Rodrigues’s story.