Um retrato da violência em Pernambuco

Protesto contra o aumento de homicídios em Pernambuco em 2015. Imagem: sinpol-pe.com.br

Violência é um tema que assusta todo o Brasil, mas quando estamos dentro do Estado onde suas taxas são uma das maiores do país, é ai que percebemos o peso dessa situação, vemos o medo na população de ser a próxima vitima nesse triste cenário, ouvimos conversas nas ruas sobre assaltos a ônibus e homicídios, ninguém se sente seguro aqui em Pernambuco.

Por outro lado, existe um Pernambuco utópico na mente de nossos representantes públicos, onde estes indivíduos ainda têm com coragem de soltar as seguintes frases, como segue:

"Eu me sinto seguro em Pernambuco" 
Secretário de Segurança e Defesa Social - Antônio de Pádua.
"Fui roubado em Páris, mas nunca em Pernambuco" 
 Secretário de Planejamento e Gestão - Márcio Stefanni.
"Situação muito desconfortável" 
Governado de Pernambuco - Paulo Câmara.

Por favor, gostaria de saber em qual Pernambuco eles vivem?

Segundo reportagem do Jornal Nacional (26/08/2017) no 1º Semestre são 15 mortes violentas por dia, totalizando pouco mais de 3.300 mortes. Com estes mortes nos igualamos ao País do Congo, que vive em uma guerra civil entre uma milícia Kamuina Nsapu eo exercito.

Nos anos anteriores nos casos de violência não Estado não está em alta, não obstante Pernambuco não é o único aqui no Nordeste, infelizmente, uma Região Nordestina semper uma numa "Situação muito desconfortável" no Ranking quando é um problema. Um site Mexicana chamado Seguridad, Justicia e Paz divulga uma lista com 50 cidades mais violentas no mundo em 2016, e Recife fisgou a 28º posição nessa triste lista, junto com outras cidades Nordestinas.

João Alberto

Hellcife, trocadilho muito utilizado para Shows de Rock, calor na cidade e também à violência. Pois é, ganhando destaque nacional com essa onda de violência descontrolada como coisas estão indo "da lama ao caos", como disse Chico Science.

Jornal do Commercio

“Derrocada do Pacto Pela Vida é um dos fatores que faz o Estado puxar para cima os números nacionais…”. O subtítulo informando a possível causa de tantos homicídios dentro do Estado. O projeto “Pacto Pela Vida” começou em 2007 durante a gestão do Ex-governador Eduardo Campos, sua principal finalidade é de reduzir a criminalidade e controlar a violência. Porém, como é visto nos noticiários o programa não anda dando mais o resultado esperado.

Idealizador do Pacto Pela Vida, José Luis Ratton, confirma que o programa “morreu”. O estudioso destaca ainda que a partir de 2014 houve um enfraquecimento da coordenação do programa, que deixou de contar com a presença permanente do governador, ao mesmo tempo em que não houve investimentos no sistema prisional, na Funase, na Polícia Científica, em tecnologia aplicada à segurança e em programas de prevenção da violência em áreas mais vulneráveis.

Pouca tempo atrás o Governo de Pernambuco e a AGÊNCIA ESTADUAL DE PLANEJAMENTO E PESQUISAS DE PERNAMBUCO — CONDEPE/ FIDEM, publicaram através de um levantamento feito com os dados entre os anos de 2011 até 2015 as “Estatísticas da Criminalidade Violenta em Pernambuco — 2015”, com essas informações fica mais claro em ver a forma crescente na taxa de homicídios violentos dentro de Pernambuco.

Crime Violento Letal e Intencional em Pernambuco 2011–2015.

O gráfico indica uma queda nos anos de 2011,2012 e 2013, contudo, a partir de 2014 a taxa de crime violento retoma sua elevação, não parando no anos seguintes. Já em 2016, o ano fechou com a marca de 4.479 homicídios, o recorde de mortes está no ano de 2006 com 4.634, segundo os dados da Secretária de Defesa Social — PE.

Em postagens recentes em uma rede social, segundo informa o Governo do Estado que diz ter entregue mais de mil viaturas e estão montando uma primeira equipe do BOPE pernambucano, ainda continuando nas ações em relação a segurança, haverá reforço no efetivo: mais 2.800 PMs, além de 600 agentes e 140 delegados da Polícia Civil, aprovados em concursos recentes, irão para as ruas no início de 2018.

Essas são propostas para apresentação de artigos na tentativa de frear nos indicadores que há muitos anos já estão aterrorizando os pernambucanos e tirando nossa paz. A torcida claro, é de que todos os direitos com o plano de segurança traçado, pois são maiores perdedores nessa situação são pernambucanos.

Em virtude disso, como não lembrar do trecho dessa música atual e atuante:

"Há um tempo atrás se falava em bandidos. 
Há um tempo atrás se falava em solução. 
Há um tempo atrás se falava em progresso. 
Há um tempo atrás que eu via televisão." 
Chico Science e Nação Zumbi.