Migalhas

Eu tenho pensado muito sobre como as relações entre as pessoas tem funcionado e percebi uma coisa: nós temos nos acostumado a dar/receber migalhas achando que isso é o máximo que se pode dar/receber de alguém.

A gente tem aceitado se reduzir a nada por tesão ou comodidade de ter alguém por perto e isso é muito errado mesmo.

Quantas vezes você abriu mão de algo que era importante pra porra você porque um amigo(a)/namorado(a) disse que era bobagem, que não valia a pena? Como isso te afetou?

Quantas vezes você engoliu a seco um problema porque a outra pessoa tava feliz demais pra te dar atenção ou te passava a sensação de que você estava incomodando?

Quantas vezes te prometeram que estariam contigo pro que der e vier mas na primeira oportunidade te deram as costas? E eu tenho certeza que todas as vezes você esteve lá, de braços abertos, prontinha (o) pra cuidar, dar carinho, atenção., porque você ê “a ama”.

Mas isso não é amor. Amor só existe quando é recíproco, responsável, cuidadoso. Não adianta nada salvar outra pessoa e ela não mexer um dedo pra fazer o mesmo por ti. Quebrar esse ciclo é assustador e maravilhoso na mesma proporção.

Por favor, tentem. Ninguém merece receber migalhas.

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.