Precisamos falar de Jessica Jones e as relações abusivas

Série da super heroína apresenta de uma forma bem perturbadora e realista quanto um relacionamento abusivo marca a vida de uma mulher

Marvel’s Jessica Jones

Se viveu nos últimos anos dentro da Netflix, você com certeza já ouviu falar em Marvel’s Jessica Jones, ou só Jessica Jones ou JJ para os íntimos. Enfim, a série é baseada nos quadrinhos da Marvel e estreou no serviço de streaming em novembro de 2015. O show teve apenas uma temporada até o momento, a segunda está sendo gravada e deve chegar na Netflix no próximo ano.

Em sua temporada de estreia somos apresentados a Jessica Jones (Krysten Ritter), uma investigadora particular que tem problemas com bebidas, sem papas na língua, usa a mesma roupa sempre e com super poderes. Jessica tem força sobre humana, ela literalmente consegue levantar um carro sem fazer nenhum esforço. Em apenas 13 episódios, o show apresenta a luta da protagonista contra o vilão Killgrave (David Tennant).

Por ser tratar de uma série de super heróis, com um vilão para ser detido, é comum pensar que o show não tem nada mais para oferecer além de entretenimento. Não é bem assim. Jessica não é apenas a super heroína que precisa lidar com um vilão que apareceu querendo destruir a sua cidade. Não! Killgrave é bem mais que isso. Ele é o ex abusador da protagonista.

Marvel’s Jessica Jones

É muito comum ver no cinema e na televisão a romantização das relações abusivas. O filme Cinquenta tons de cinza está aí para mostrar isso. É comum também ligarmos relações abusivas apenas quando há agressão física, esquecendo que a violência psicológica é tão séria e traz grandes problemas também.

Killgrave é charmoso, inteligente, simpático, o típico genro que as mães pedem aos céus. Ele também é manipulador, tem explosões de raiva, possessivo e opressor. Jessica o conhece bem quando estava tentando usar seus poderes para o bem, porém como Killgrave tem o dom de manipular as ações das pessoas de acordo com o que ele diz, e é exatamente isso que ele faz com a protagonista. Ele a usa para conseguir o que deseja, incluindo prazeres sexuais.

Quando conhecemos Jessica, ela está se recuperando de tudo o que viveu ao lado de Killgrave. Por isso têm dificuldades em encarar uma rotina, em obedecer ordens, se conectar com as pessoas e está sempre com um copo de bebida nas mãos. O retorno de Killgrave para sua vida, coloca toda a sua sanidade em xeque. Jessica percebe que conseguiu escapar de seu abusador, mas outras mulheres não. Ele ainda está a solto e abusando de outras, e essa é a sua motivação para enfrentar Killgrave.

Jessica Jones utiliza a bebida como uma das fugas para o abuso sofrido

Fazendo um paralelo com o mundo real, o show mostra que homens abusadores não param. Eles continuam repetindo o seu padrão, não importa com quem seja. Jessica e a mais recente vítima de Killgrave tentam de todas as formas convencer as pessoas do ele é capaz, mas ninguém acredita. Assim como as personagens, essas vítimas são chamadas de loucas e mentirosas, afinal como um homem charmoso e simpático pode ser um abusador?

Jessica tenta provar o tempo inteiro o quanto Killgrave é perigoso, e quando finalmente consegue as provas, ainda assim existem quem desconfie da veracidade. Chega um ponto do roteiro em que a protagonista e o vilão se reaproximam e nessa hora podemos ver Killgrave fazendo de tudo para colocar a culpa do que aconteceu entre eles em Jessica. Quantos relacionamentos não são assim na vida real? Quantos homens erram e colocam a culpa nas suas parceiras? Quantas agressões são justificadas por conta de ações do outro?

“Você nunca apreciou nada do que eu fiz por você.” — Killgrave

Killgrave se justifica dizendo que ama Jessica e tudo o que fez foi por amor. A velha desculpa de sempre. E ele a ama tanto, que chega ao ponto do “se eu não posso te ter, ninguém mais vai ter”. As manchetes de jornais e revistas estão aí para mostrar todos os dias quantas mulheres são vítimas fatais dos seus parceiros, que não aceitam o fim do relacionamento ou que “amam demais”, como alguns ainda insistem em dizer.

Por ser tratar de uma obra ficcional, Jessica tem o seu final feliz. Ela se livra de uma vez por todas do seu abusador e agora tem uma nova chance de recomeçar a sua vida. Além da relação de Jessica e Killgrave, o show mostra outros tipos de relações abusivas: os vizinhos da protagonista, os irmãos Ruben (Kieran Mulcare) e Robyn (Colby Minifie) vivem em um relacionamento abusivo com ela sendo a manipuladora do irmão. Trish (Rachel Taylor), irmã adotiva de Jessica e famosa apresentadora de rádio é vítima de abuso da própria mãe.

Marvel’s Jessica Jones

Vale lembrar que as relações de abuso não se restringem apenas em relacionamentos amorosos heterossexuais. Elas podem acontecer com qualquer um, em qualquer lugar, de qualquer classe social, cor de pele, gênero ou idade. O importante é buscar ajuda para sair o quanto antes dessas relações e ajudar a vítima sem julgá-la.

Leia também É a vez das super-heroínas

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.