a moça que não tinha dores

eu não tenho mais nenhuma dor pra vomitar. tá tudo bem de novo. é estranho, porém gostoso. talvez eu tenha feito um escudo pra me proteger do sentir. talvez isso seja um pouco ruim. talvez. mas por enquanto tá tudo ok. 
sentir demais também cansa. não que eu tenha parado de sentir, pelo contrário. eu só cortei os excessos e deixei as coisas acontecerem. não me blindei, mas também não vou instigar a corrosão do dia-a-dia, que uma hora ou outra, vai me encarar.
não é errado viver sem aquela dor aguda que faz querer morrer 
porque eu sei que um uma hora ela volta,
de um jeito ou de outro,
quando menos esperar, vou estar vomitando de novo, desejando todos os dias pra que a dor desapareça
então não me preocupo, não me precipito
conheço meu eu
sei quem sou, sei o que sinto
conheço o todo esmagador que absorvo
sou como uma esponja
já me enxarquei
agora devo me torcer.

paz

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.