Novas profissões, Velhos objetivos

Temos aqui três representantes de uma profissão que se tornou bem comum nos últimos anos, a de Blogueira. Duas blogueiras literárias, que ainda persistem em seu trabalho como blogueiras, e outra, uma ex-blogueira de moda e beleza, que desistiu da profissão para se dedicar aos estudos de medicina.


Raianny Mesquita, 23 anos, ex-blogueira de moda e beleza.

(Blog Só Beleza)

1 — Por que fazer um blog de beleza?
“Sempre gostei muito do mundo da beleza. Produtos, novidades , lançamentos… O interesse partiu dai.”

2 — Como funciona a parceria com uma marca?
“A empresa entra em contato por e-mail e manda a proposta de divulgação. O blog também pode entrar em contato com a marca através do e-mail SAC deles.”

3 — Qual era a sua maior dificuldade como blogueira?
“Acompanhar todos os lançamentos do mundo beauty. Manter o blog atualizado com os lançamentos no começo saia bem caro.”

4 — Você conseguia tirar alguma renda dessa atividade?
“Sim. Não tão grande quanto a de blogueiras famosas, mas já tirei sim.”

5 — Como era o dia-a-dia da Raianny? Como você conciliava o blog e a vida pessoal?
“O dia-a-dia de uma garota normal. Estudo, trabalho, casa. Conciliava de forma bem fácil; quando estava em casa, me dedicava ao blog.”

6 — A blogosfera de moda e beleza está sempre aumentando, novos blogs estão sempre surgindo. O que você acha sobre o fato de ter tantos blogs do mesmo nicho? Você acredita que existe concorrência entre as blogueiras ?
“Sim. Além de existir muita concorrência, existe as famosas panelinhas e puxadas de tapete intermináveis. Mas acredito que o sol nasce para todos.”

7 — A atividade de blogueira é considerada por muitos apenas um hobby, já que para uma blogueira conseguir uma renda boa ela necessita de bastante visualização. Você acha que isso pode mudar no futuro?
“Com certeza. O mundo têm ficado cada vez mais virtual. Você não precisa mais comprar um produto pra teste. É só ler resenhas deles.”

8 — Você conseguiu atingir o seu objetivo com o blog? O que você pretendia alcançar com o Só Beleza?
“Não, não consegui. Queria que o blog crescesse de forma grande, mas não sou frustrada com o coming do blog. Vou ser médica, então…”

9 — Quais são os seus conselhos para novas blogueiras que começaram a se aventurar agora na blogosfera de moda e beleza?
“Sejam humildes sempre. Nunca puxem tapete de ninguém e esquece as confusões virtuais.”

10- Por que o blog acabou?
“O sonho de ser médica me dominou por completo e por fim não conseguia conciliar meu tempo de estudo e o tempo pro blog.”


Identidade visual do blog Feed your Head, versão 2016.

Jordana Carneiro, 29 anos e Priscila Alves, 28 anos, Blogueiras Literárias

(Blog Feed your Head)
Jordana Carneiro, 29 anos, Criadora do blog Feed your Head
Priscila Alves, 28 anos, Resenhista do blog Feed your Head

1 — Por que fazer um blog? Como foi a escolha do nome?

Jordana: “Resolvi criar um blog porque li um livro que nenhum dos meus amigos tinha lido e eu fiquei tão eufórica com a história que precisava compartilhar com alguém. Pesquisei na internet o nome do livro e apareceram vários sites com resenhas, que depois descobri serem blogs literários, o primeiro que abri foi o blog “Menina da Bahia”, que já me apaixonei de cara e me inspirei nele para criar o Feed your Head. O nome “Feed your Head” foi escolhido a partir de uma música da banda “Jefferson Airplane”, a música em questão se chama “White Rabbit” e remete ao livro “Alice no país das maravilhas”, no refrão da música a cantora repete várias vezes a expressão “Feed your Head”, aquilo ficou na minha cabeça vários dias enquanto eu pensava em um nome para o blog, então nasceu o “Feed”, como é carinhosamente chamado por nós, que o fazemos, e pelos leitores daqui da cidade.”

2 — Como funciona a parceria com uma editora/autor?

Jordana: “Parceria com editoras e autores funciona da seguinte forma: a editora ou autor me manda o livro e em troca eu tenho que dar uma resenha, ou seja, a minha opinião sobre a obra. Geralmente as Editoras abrem uma espécie de processo seletivo para blogs, já que são muitos e todos os dias novos blogs são criados, os blogs selecionados tornam-se parceiros por seis meses ou um ano, até a próxima seleção. Parceria com autores, hoje em dia não faço mais, ou melhor, não peço mais, geralmente são os autores que me procuram para solicitar resenha. É muito difícil resenhar livros de autores nacionais pois grande parte deles ainda não está preparado para lidar com críticas e acontece de atacarem o blogueiro nas redes sociais com comentários ofensivos.”

3 — Qual é a sua maior dificuldade como blogueiro?

Jordana: “Com certeza é ter tempo para ler tudo que recebo (o que não é pouca coisa) e também o fato de não ser tão reconhecida quanto eu gostaria.”

Priscila: “Quando eu não gosto de algum livro, minha maior dificuldade é que mesmo não gostando do trabalho da pessoa eu preciso escrever ‘com classe’,ou seja dizer que não gostei de uma forma que não desvalorize o trabalho do outro.”

4 — Você consegue tirar alguma renda dessa atividade?

Jordana: “Não tanta quanto gostaria, mas consigo tirar alguma sim. Mas isso nunca foi o meu objetivo, já que o blog para mim é um hobby, a grana vem como consequência e fruto da dedicação de seis anos de muito trabalho.”

5 — Como é o dia-a-dia da Jordana/Priscila? Como você concilia o blog e a vida pessoal?

Jordana: “O dia-a-dia é bem corrido, faculdade, cursos, trabalhos, provas e leituras entre uma aula e outra, no metrô, no intervalo, em qualquer lugar. Às vezes me estresso e quero desistir porque não consigo produzir tanto conteúdo quanto gostaria e tenho várias ideias que não consigo pôr em prática por falta de tempo.”

Priscila: “Todo mundo me pergunta isso: ‘como vc consegue ter uma vida?’ O segredo é organização, eu tenho uma agenda rotineira que me permite fazer tudo e ainda dormir e ter vida social. Confesso que ultimamente não me adaptei ainda há algumas novas atividades mas isso é só falta de costume.”

6 — A blogosfera literária está sempre aumentando, novos blogs estão sempre surgindo. O que você acha sobre o fato de ter tantos blogs do mesmo assunto? Você acredita que existe concorrência entre os blogueiros?

Jordana: “É complicado, porque cada pessoa tem direito de escrever sobre o que quiser. Da mesma forma que um dia eu comecei porque senti necessidade de falar sobre um assunto que eu sempre gostei, todo mundo tem esse direito também. A diferença é que na época que comecei, não existia esse negócio (literalmente) de parceria com editoras e com autores, e hoje em dia, entre alguns blogueiros literários, ter parceria com editora X ou Y é sinal de ostentação, de status. Quando as editoras liberam resultado de seleções, há um furor enorme entre os blogueiros nas redes sociais e eles ficam acusando as editoras de só escolherem blogs “grandes” ou com muitas “curtidas”, e ficam xingando os outros blogs dizendo que não prestam, e querendo se desfazer do trabalho dos outros para se enaltecer. Acho isso ridículo, sempre achei e graças a Deus nunca me envolvi em nenhum barraco literário. Risos. E acho que a segunda pergunta, sobre ter concorrência entre blogueiros já foi respondida não é? Sim, existe e MUITA!”

Priscila: “Concorrência existe sim, não existe nenhum nicho dentro desse mundo que não exista. Eu acho que isso é bom e ruim. Bom porque tem muita gente boa nova surgindo e ruim porque tem muita gente surgindo e criando blog pelos motivos errados.”

Identificação como Imprensa no evento SANA FEST 2016
Identificação de Blogueiro Parceiro na Turnê da Intrínseca Fortaleza 2016

7 — A atividade de blogueira é considerada por muitos apenas um hobby, já que para um blogueiro conseguir uma renda boa ele necessita de bastante visualização. Você acha que isso pode mudar no futuro?

Jordana: “Acho que já está mudando, uma vez que as editoras e a mídia em geral está percebendo que nós blogueiros, temos muita influência sim sobre os leitores e somos formadores de opinião. Muita gente se baseia nas resenhas do meu blog para adquirir seus livros. Me deixa muito feliz quando alguém chega para mim e diz “Olha, eu estava em dúvida sobre o livro X, mas depois que li a sua resenha no Feed your Head, decidi e comprei! Amei o livro, muito obrigada!!!”. Para mim o blog foi, é e sempre será um hobby, a partir do momento que isso se tornar um trabalho, uma obrigação, não terei mais prazer em fazer o Feed your Head. Claro que tenho compromisso com os meus leitores, mas quando isso se tornar uma dor de cabeça para mim, é sinal de que já é hora de parar. Existem muitos blogueiros que transformaram seus blogs em canais do youtube e hoje em dia fizeram disso sua profissão e principal fonte de renda, não é o meu caso, eu não tenho paciência e nem tempo para isso, já que exige MUITA dedicação e trabalho.”

Priscila: “Não, qualquer empresa quer retorno e se ela investe em você e no seu blog ela vai querer visualização é assim que o mercado funciona e ele não vai mudar.”

8 — Quais são os objetivos que você ainda pretende alcançar com o Feed your Head?

Jordana: “Bom, objetivo mesmo, é só conseguir me profissionalizar na produção de eventos, já que comecei produzindo eventos literários por causa do blog em 2011 e isso se tornou uma paixão e quero fazer disso a minha profissão. Amo fazer eventos de lançamentos de livros e devo a descoberta dessa paixão ao blog. Tem outra coisa muito boa que o blog me trouxe, mas por enquanto não posso comentar, desculpem, mas em breve todos saberão.”

Priscila: “Acho que o Feed tem crescido muito em termos de evento. Eu gosto da maneira como trabalhamos isso, quanto ao blog acho que precisa mudar algumas coisas para alcançar novos públicos. Então talvez esse seja o objetivo:alcançar novos públicos.”

Jordana Carneiro mediando o lançamento do livro ‘SURPREENDENTE’ do autor Maurício Gomyde, Editora Intrínseca. Local: Livraria Leitura Riomar
Priscila Alves, mediando o Clube do Livro Especial Adaptações Literárias da Editora Intrínseca. Local: Saraiva Megastore Shopping Iguatemi.

9 — Quais são os seus conselhos para novos blogueiros que começaram a se aventurar agora na blogosfera literária?

Jordana: “Os conselhos que posso dar são: 1- Faça por amor e não buscando reconhecimento imediato, pois leva um tempo até você conseguir se firmar na blogosfera literária e ter seu trabalho tido como referência. Não é da noite para o dia, então cuidado para não se frustrar. Não crie um blog pensando só em “ganhar livros”. Não é assim, as cobranças chegarão e você vai se frustrar. 2- Estude, procure escrever bem e revisar suas resenhas para ver se são coerentes e se estão sem erros gramaticais e de ortografia, não tem nada pior do que uma resenha mal escrita, mal pontuada e cheia de erros, não dá para ter credibilidade, sabe? 3- Paciência, jovem gafanhoto, paciência. O reconhecimento vem com o tempo, e muito tempo, diga-se de passagem.”

Priscila: “Seje menas,coisinha! Comece ralando e saiba que resenha não são fotos bonitas intercaladas com frases, estude sempre E se atualize.”

Pilhas de Livros a serem resenhados.
Priscila e Jordana mediando o evento Fanáticos Rocco I. Local: Livraria Cultura.

10- Como você encaixaria sua atividade na sociedade atual? Você acha que existe algum tipo de preconceito ou resistência por parte de algumas pessoas sobre a sua atividade?

Jordana: “Bem, acho que a profissão de blogueira ainda não é totalmente reconhecida como profissão, ainda que esteja crescendo cada vez mais nos últimos anos. Ainda não somos reconhecidos como profissionais, formadores de opinião e mais vendedores de livros que os próprios livreiros! Infelizmente muita gente acaba praticamente se prostituindo por causa de livros ‘grátis’, no caso da blogosfera literária, é muito complicado. Encontrei muito preconceito na Universidade, quando ingressei no curso de Letras, as pessoas me criticavam pelo tipo de leitura que eu lia para escrever para o blog. Eu leio de tudo, de romances de banca até os clássicos russos. O preconceito literário é o pior. Eu não ligo muito para isso, já que ninguém está pagando minhas contas para dar pitaco no que eu leio ou deixo de ler. E sobre resistência, bem, não posso colocar em um currículo, por exemplo, que tenho experiência em ser blogueira literária, então sim, ainda encontro resistência quando digo que minha profissão é ser blogueira literária. ”

Priscila: “Não, como ser blogueira agora está na moda as pessoas acham bem legal isso e ainda acham que eu ganho grana com isso, o que não é verdade.”

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ

COMUNICAÇÃO SOCIAL — PUBLICIDADE E PROPAGANDA 2016.1

PROFESSOR: JAWDAT ABU EL HAJ

SOCIOLOGIA E COMUNICAÇÃO

PRODUÇÃO: Jordana da Silva Carneiro, Levi Dourado e Jamilly Gomes.

03/07/2016

Fortaleza-CE