Minimalismo aplicado às relações

Minimalismo nada tem a ver com COISAS. Minimalismo se trata do SIGNIFICADO que damos às coisas. E da IMPORTÂNCIA que damos às pessoas.

voyager

Assim como acumulamos ao longo da vida objetos sem importância e sem utilidade em nossas vidas, também acumulamos relacionamentos e pessoas porque pensamos que um dia esses relacionamentos nos serão úteis de alguma forma. Ou às vezes mantemos relações sem mesmo sabermos o motivo.

O minimalismo na vida emocional e nas relações envolve parar pra refletir sobre as pessoas que você tem contato diariamente. Todas. Absolutamente todas. E sim, é uma tarefa que não temos o hábito de fazer.

O primeiro exercício que podemos fazer para refletir acerca das pessoas que mantemos contato é organizá-las em grau de importância e refletir sobre como estamos gerenciando esses relacionamentos.

O trecho a seguir foi adaptado do livro Minimalism: Live a Meaningful Life.

É hora de ter um olhar honesto sobre seus amigos. Eles te fazem feliz? Eles te satisfazem? Eles te apoiam? Te ajudam a crescer? Eles contribuem com sua vida de forma positiva?

Em um papel ou uma planilha, crie três colunas onde você irá colocar Nome, Significado e Efeito.

Nome: A primeira coluna contém o nome das pessoas que você interage diariamente. Todas as pessoas. De vizinhos, pessoas que você esbarra diariamente no corredor e troca um Olá, das pessoas que moram, trabalham e estudam com você. Dos contatos mais íntimos aos mais superficiais.

Significado: Aqui você classificará cada pessoa em uma das três situações:

1) primário;

2) secundário, e

3) periférico.

Primário: Independente de serem boas ou ruins as suas relações, são as pessoas que você mais tem contato. São suas relações mais próximas. São as pessoas responsáveis por moverem a sua vida. São as que participam dela.

Secundário: Esta classificação é similar a anterior, porém as pessoas contidas aqui tem menos valor por vários motivos. Aqui ficam amigos próximos, seu chefe, alguns colegas de trabalho e alguns parentes. Aqui contém as pessoas que você tem contato diário, mas a importância delas é menor que as contidas na primeira coluna. São o elenco de apoio.

Periférico: As chances são que a maioria das pessoas listadas estejam classificadas aqui. Periférico são as pessoas que você quase não tem contato, mas ainda assim estão próximas a você. Colegas de trabalho, vizinhos, membros da sua comunidade, membros distantes da família. Você tende a respeitar suas opiniões e encontrar pelo menos algum valor nessas relações.

Efeito: A terceira e última coluna trata do efeito que essas pessoas têm sobre você.

Positivo: Relações com avaliação positiva são aquelas que te ajudam a crescer e te fazem feliz.

Negativo: Te fazem infeliz, incompleto e insatisfeito.

Neutro: São relações que estão entre o positivo e o negativo. Elas não exatamente te fazem infeliz, mas te deixam ambivalente acerca dessas relações.

É importante notar que as relações primárias não necessariamente te façam feliz. Elas podem ser qualificadas como negativas, mas o fato de serem avaliadas como negativas não significa que sejam ruins. Muitas das suas relações periféricas serão classificadas como neutras e algumas como positivas, o que significa que elas te trazem muito prazer, resultando em uma relação periférica positiva.

O que fazer com suas relações atuais:

Agora que sua lista está completa, olhe para as respostas e se faça algumas perguntas muito importantes:

Quantas relações você têm?

Por que tantas (ou tão poucas)?

Quantas estão na coluna primária?

Quantas estão na coluna secundária?

Quantas estão na coluna periférica?

Quantas são positivas?

Quantas são negativas?

Quantas são neutras?

As chances são que a maioria das pessoas listadas estejam classificadas como relações periféricas. As chances são que você passe a maior parte do tempo com quem importa menos a você. E isso precisa mudar. Talvez você queira mover algumas dessas pessoas para secundária ou primária, mas as que permanecerem em periférica precisam ter a sua profunda avaliação sobre quanto do seu tempo você deseja investir em quem não contribui em nada em sua vida. Talvez seja necessário dizer aos amigos periféricos “não” com mais frequência, explicar que você precisa de mais tempo para você e principalmente, mais tempo para você investir nas relações que realmente importam para você.

Fim da adaptação do livro Minimalism: Live a Meaningful Life.

O que é possível aprender com esse exercício:

É possível notar que muitas pessoas que estão na coluna primária e estão classificadas como negativas podem:

Carecer de uma maior atenção e empenho da sua parte para melhorar esta relação. Uma conversa sincera sobre como vocês podem juntos rever todos os erros e porquê eles têm sido mantidos. Como a relação pode melhorar;

Necessitar ir para a classificação secundária. Talvez você enxergue esta relação como primária e se empenhe em tratá-la como primária. Mas de repente ela pode não ser de fato uma relação primária. Talvez secundária ou mesmo periférica.

O mesmo ocorre nas relações secundárias e periféricas:

Algumas relações periféricas poderão ser sumariamente eliminadas de sua vida após uma profunda reflexão ou então poderão ser promovidas para relação secundária com planos de se investir em uma relação primária a longo prazo. Algumas relações secundárias podem ser promovidas a primária e outras podem ser rebaixadas como periféricas. It’s up to you.

O minimalismo nas relações:

Como dito no início do texto, minimalismo se trata do significado e da importância que damos (neste contexto) às pessoas.

Muitas vezes mantemos alguém próximo a nós por um motivo que nunca descobrimos. E esta ausência de motivo precisa ser avaliada pois pode ser que a pessoa/relação seja merecedora de um investimento maior, de uma promoção para relação primária, ou talvez esta pessoa nem deva fazer parte da sua vida. Talvez a interação com esta pessoa seja nociva.

Você precisa de relações o suficiente que te façam crescer e que te satisfaçam. Manter poucas amizades pode te levar a cair na zona de conforto e na fragilidade; muitas amizades podem se tornar diluídas à superficialidade das interações. É difícil gerenciar o contato com muitos amigos. Mantenha próximo apenas os que são necessários.

Conclusão:

Minimalismo é uma ferramenta. Você pode aplicá-lo em suas relações, nos objetos que têm em sua casa, em sua rotina, em suas tarefas diárias, na lista de livros e filmes para ler/assistir, etc. Aplicar minimalismo significa rodear-se do que é importante e necessário para o seu bem estar, crescimento e satisfação e eliminar o que está ausente de sentido e o que atrapalha a sua dedicação ao que realmente te faz bem.

Minimalismo também é uma ferramenta para gerenciar o seu tempo. Quando você descobre que dedica mais do seu tempo a quem menos contribui para o seu crescimento pessoal, você redefine suas prioridades com seus amigos e passa a dar mais atenção aos que realmente estão lá por você.

Eu espero que sua amizade minimalista contribua para que você se torne uma pessoa mais feliz. :)