As mulheres brasileiras nos E-sports — visão geral

Gaming vs E-sports

Para compreender o que vou explicar à continuação é necessário sublinhar a diferença entre gaming e e-sports.

Muito resumidamente, Gaming, no mais básico da sua palavra, significa jogar jogos. Enquanto os e-sports são o nível mais competitivo dos videojogos. A este último também o podemos chamar de Gaming profissional.

Aproveito para fazer uma comparação com os desportos tradicionais para os que não estão tão familiarizados com o tema. O futebol é um desporto com um reconhecimento gigantesco a nível mundial, pelo que existe muita gente de todo o tipo que pratica este desporto, na rua, no pátio, em campos de futebol, na praia, etc. Porém, jogar de vez em quando e ser bom nos remates, nas fintas ou na baliza, não se compara ao futebol profissional, onde os jogadores têm treinos diários e encaram este desporto mais seriamente. Da mesma maneira, encarar os videojogos seriamente é treinar muitas horas por dia, é pensar em estratégias, é saber jogar em equipa.

Tal como os desportos tradicionais, os e-sports também pertencem à categoria de competição. Há ligas e torneios, tanto de carácter presencial como online, onde se juntam as melhores equipas de cada videojogo para disputar o primeiro lugar. E tal como no futebol, os videojogos também têm uma quantidade exuberante de espectadores.

Sendo esta uma industria em ascensão, seria bom que desta vez, os jogos conseguissem unir os dois géneros: o masculino e o feminino.

Comparação para melhor entendimento do conceito de E-sports:
Desporto tradicional = Electronic Sports (e-sports)
Futebol = League of Legends (Nome do Jogo)
Video by @AlnShow — Madrid Gaming Experience 2017 (Movistar)

A mulher gamer

Vamos ao que importa: as mulheres gamers. Sou consciente de que é um tema que pode causar polémica, visto que existe a percepção de que os homens tem um maior interesse nos videojogos que as mulheres, o que não é de todo mentira, a nível global. No entanto, no Brasil há cada vez mais mulheres a jogar videojogos, como comprova um estudo feito em 2016 pela agência de tecnologia Sioux em parceria com a Blend New Research e a ESPM. Os dados recolhidos por estas afirmam que no Brasil 52,6% das mulheres são gamers. Quando digo gamers, recordem o que mencionei anteriormente. Jogam por diversão e não a nível competitivo. É importante ressaltar que 34% estão numa faixa de idade entre os 25 e 34, 55% preferem os jogos de estratégia e 80% gosta de jogar com os filhos.

Assim sendo, o crescimento do público feminino nota-se em eventos como o Brasil Game Show (BGS). Anteriormente quando as mulheres compareciam nestes eventos era em grande parte para fazer companhia aos maridos, filhos e amigos. Mas agora vão porque têm um interesse próprio nos videojogos.

Mesmo que o rumo das mulheres nesta industria seja positivo e as tendências indiquem um crescimento, esta predisposição para jogar ainda não conseguiu ultrapassar as grandes barreiras para se destacarem nos videojogos profissionalmente. Isto não acontece por falta de vontade, mas sim porque existem muitos factores que fazem com que estas não avancem.

Existem campeonatos femininos, como a Brasil Game Cup onde as mulheres podem ter a sua própria equipa. As iniciativas de criar este tipo de campeonatos são certamente criadas de boa fé, mas mesmo assim não são muito incentivadoras para as jogadoras. Isto porque, para além de que o prémio seja incrivelmente mais baixo que num campeonato com equipas masculinas, esta separação de géneros pode ser uma das causas que desmotive as mulheres a participar nos torneios e a fazer dos e-sports uma profissão. Para adicionar a cereja ao topo do bolo, muitos gamers masculinos continuam a insultar as mulheres que jogam videojogos. Não digo que esta discriminação não exista entre homens, porque flamers há muitos. Os flamers são pessoas tóxicas que tentam irritar os outros jogadores por via verbal devido à sua forma de jogar. Mas claramente existe certa discriminação ao catalogar as mulheres num patamar de perfomance tão baixo.

Acredito fielmente que esta geração e esta nova indústria partilham uma mentalidade mais aberta neste sentido, e por isso há organizações e ligas que tentam atrair as mulheres para o mundo dos e-sports com campeonatos femininos. Não obstante, acho que estão a abordar o assunto de forma errada. Separar equipas masculinas e femininas significa manter tudo na mesma! Significa dar protagonismo ás equipas masculinos e atirar para canto as mulheres…outra vez. Não devíamos seguir os passos dos jogos tradicionais. Para evoluir neste sentido é importante que se criem equipas mistas, onde uns possam aprender com os outros.

Para ilustrar a minha ideia, há uma equipa feminina Brasileira de CS:GO que tem um homem como treinador. É normal que exista uma diferença de nível de performance notável porque só agora é que as mulheres estão a começar a ser mais visíveis no âmbito dos videojogos. Mas se estas barreiras forem ultrapassadas, podem haver equipas mistas excepcionais.

À continuação segue uma revisão do panorama brasileiro feminino nos videojogos em 2017:

O jogo mais jogado no Brasil pelas mulheres é o CS:GO e é o único que lhes oferece mais oportunidades para entrar no competitivo mundo dos e-sports neste momento, isto é, a maior parte dos torneios femininos que existem são para CS:GO.

As imagens abaixo representam as equipas femininas brasileiras de CS:GO mais destacadas no âmbito dos e-sports.

Equipas femininas brasileiras mais destacadas — Idioma: Espanhol
Equipas femininas brasileiras mais destacadas — Idioma: espanhol

As equipas femininas com mais seguidores nas redes sociais são as que estão associadas a uma equipa masculina. Estas equipas que menciono são das poucas que têm um maior destaque no panorama feminino de CS:GO, contando também com a equipa Merciless Gaming e Team Red One, que não aparecem nas imagens.

Encontrar equipas femininas foi um processo bastante desafiante, sendo que muitas delas acabam por desintegrar-se rapidamente por vários motivos, alguns deles relacionados com a pouca visibilidade que se dá ás mulheres gamers.