Realidade Virtual

O mundo contemporâneo trouxe consigo o desenvolvimento de novos recursos para a vida, ultrapassando os limites antes impostos pela necessidade da presença física. Dispomos de fantásticos recursos para explorar e intervir na realidade, podendo usá-los como instrumentos para alcançar uma vida com mais comunicação, conhecimento, conforto e segurança, ao mesmo tempo que temos a capacidade de usá-los para nos distanciarmos da realidade, podendo chegar a preocupantes conflitos psíquicos.

O virtual tem o poder de aproximar pais e filhos que moram em cidades diferentes, mas também afastar famílias que moram na mesma casa. Estando conectado é possível fazer descobertas, assim como disseminar preconceitos e agressões através do anonimato. A partir de jogos e redes sociais, muitos indivíduos podem se expressar de forma livre e também se mascarar de personagens com características físicas e psicológicas idealizadas. Vivemos uma era onde as identidades se misturam com os perfis.

Com frequência cometemos o equívoco de acreditar que existe uma barreira segmentando o espaço físico do virtual, quando, na verdade, ambos se transformaram em uma só realidade. O virtual tem entre seus poderes, o de seduzir, por permitir que o sujeito não apenas se comunique, mas também modifique a sua própria existência, misturando o real com o idealizado. No entanto, estas modificações não foram criadas a partir da tecnologia, elas apenas tomaram outro formato, talvez mais potencializador e audacioso. Desde sempre, todo ser humano cria, restringe, recorta, apaga e acrescenta aspectos em sua vida, a adequando ao seu próprio desejo. O virtual é apenas um espaço onde o sujeito reproduz os mesmos mecanismos inconscientes presentes na vida offline.