“Todo dia ela faz tudo sempre igual, me sacode às seis horas da manhã.”

A primeira vez que tentei fazer as típicas panquecas americanas.

A rotina de um casal retratada pelo Chico Buarque na música “Cotidiano” foi minha inspiração para estabelecer o primeiro vínculo com a nova vida em San Diego. Apesar de ter esse tempo de “férias” até a chegada do meu visto de trabalho, não posso entregar-me à vida mansa (até porque eu não conseguiria fazer isso).

Tenho algumas atividades fixas todos os dias: preparar o café da manhã, o almoço e o jantar; arrumar a casa; escrever no blog; falar com os amigos e parentes; responder e-mails e estudar inglês por conta pelo menos 3h. E todos os dias vou tentando acrescentar alguma coisa nova à rotina, como conhecer os lugares aqui perto sozinha, garampirar em lojas, ir ao supermercado, ler meus livros, pesquisar por casas e lugares para morar (estamos num hotel provisorimente), etc.

Ter atividades fixas fazem com que eu me sinta responsável por algumas coisas e regre meus horários. É extremamente difícil para mim admitir que não estou trabalhando no momento, isso me deixa envergonhada inclusive. Mas sei que é uma fase passageira e estava disposta a isso quando aceitei vir pra cá.

Para quem trabalhou muitos anos sem parar, o fato de não sentir-se útil é um grande problema. Você se sofre por ser improdutivo e parece que tudo o que faz não aparece, não é palpável. Então você olha pela janela e vê as pessoas saindo para trabalhar todos os dias, mas você não é mais pertencente a esse mundo e sente-se excluído, sozinho.

Paralelo a isso, existem as coisas banais da rotina. Amo cozinhar, mas não é a mesma coisa almoçar sozinha. Sempre tive pavor disso quando trabalhava. Muitas vezes acabava comendo um lanche na frente do computador se não tinha companhia para ir comigo a um restaurante. Mas agora eu me forço a preparar alguma coisa, mesmo que seja só pra mim, pois preciso me alimentar bem (viu mãe!) e a comida que faço dá uma sensação de estar em casa.

Estou aprendendo também a conhecer mais sobre a culinária local. Esses dias fiz a tradicional panqueca americana. De primeira não deu muito certo, mas fui insistindo e as últimas ficaram bem apresentáveis (e saborosas).

E assim vou seguindo, um diz de cada vez, um passo após o outro, tentando não me julgar ou criar muitas expectativas.

Show your support

Clapping shows how much you appreciated Daniela Machado’s story.