Paixão, Educação, Respeito & Messi

Pode ser polêmico, mas desde que fui a Argentina pela primeira vez, eu digo que os eles são mais apaixonados por futebol do que nós
Senti na pele. 
Pude ver um treino do Boca Juniors, in loco. 
Assisti à Argentina x Equador em 2008 no Monumental de Nuñez.
65 mil pessoas, gritando e vibrando com Riquelme; Messi e Agüero. 
1 x 1. Com gol de Palacios aos 48 do segundo tempo. 
O próximo jogo era contra o Brasil, no Mineirão, em uma na quarta-feira.
Eu assisti esse jogo em um Hostel em El Calafate. 
O único brasileiro louco com a camisa da Seleção. 
Fui zoado, mas empatamos. 
E claro, ficamos todos bebados, no pós jogo, tomando Quilmes!
Sou fã das campanhas da Quilmes, maior patrocinadora da Seleção Argentina. 
Todas as campanhas deles — ou a quase todas — dão um tom emocional, passional, e que nos deixa embasbacados. 
A Campanha Benditos (https://www.youtube.com/watch?v=w1NUisaQ6zA) e essa de 2010 (https://www.youtube.com/watch?v=Pw7uor392dY) são exemplos disso. 
Tá certo que falar que o MESSI foi maior que o Pelé, é uma heresia sem tamanho para alguns.
Mas esse vídeo, feito por produtora argentina, leva o futebol a outro nível. 
Nele, “Deus”, pede que Messi não abandone a Seleção.

— 
NOTA MENTAL:
Agora, fica a dúvida, se “Ele” é Brasileiro, “Ele” bem que poderia deixar o melhor de todos os tempos para lá, né? Ficaria mais fácil para gente, na próxima!

 — 
Quando tivermos a mesma paixão dos argentinos, o exemplo de respeito da Islândia pelos jogares, e a educação da Europa nos campos de futebol, aí sim, seremos melhores. 
Não melhores que eles, porque eles também tem problemas, mas com certeza, melhores que nós mesmos.
Para sempre!

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.