Terceiro Domingo da Páscoa

10 de abril de 2016

A Conversão de São Paulo, 1786. Benjamin West (1738–1820), Dallas Museum of Art.

Leituras bíblicas*

Atos 9: 1–6 (7–20)
Salmo 30
Apocalipse 5: 11–14
João 21: 1–19

Convite ao Culto /Confissão/Salmo

Coleta (Oração)

Deus todo-poderoso, tu mostras a luz da verdade aos que erram para que regressem ao caminho da retidão; ajuda os que são de Cristo a renunciar a tudo que se oponha à fé que professam e a andar nos passos do Mestre. Mediante Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém!

Assim como Saulo ouviu a voz do Senhor no caminho de Damasco, ficou cego e, em seguida, recuperou a visão (Atos 9: 1–6), nós, que nos voltamos dos nossos pecados e seguimos o Senhor, encontramos a alegria e a cura (Sl 30). Porque nós amamos e confiamos no Filho de Deus, que se fez homem e habitou entre nós (Jo 21, 1–19), oferecemos a ele todo o louvor e toda a glória (Ap 5: 11–14).

Salmo

Salmo 30

1 Ó SENHOR, eu te exaltarei porque tu me levantaste 
e não permitiste que meus inimigos rissem de mim. 
2 Ó SENHOR, meu Deus, clamei a ti, e tu me curaste.
3 SENHOR, tu me tiraste da sepultura, 
preservaste a minha vida para que eu não descesse à cova.

4 Cantai louvores ao SENHOR, vós que sois seus santos, 
e louvai seu santo nome. 
5 Porque sua ira dura só um momento; no seu favor está a vida.
O choro pode durar uma noite, mas o cântico de júbilo vem de manhã.

6 Eu, porém, dizia na minha prosperidade: 
Jamais serei abalado. 
7 Tu, SENHOR, pelo teu favor fizeste com que a minha montanha permanecesse firme; apenas escondeste o rosto e fiquei perturbado.

8 SENHOR, a ti clamei, 
e ao SENHOR supliquei:
9 Que proveito haverá no derramar do meu sangue?
E se eu descer à cova? Acaso o pó te louvará? Ou proclamará a tua verdade?
10 SENHOR, ouve e tem compaixão de mim! Ó SENHOR, sê o meu auxílio!

11 Converteste meu pranto em dança, tiraste meu pano de saco e me vestiste de alegria; 
12 para que eu te cante louvores e não me cale. 
SENHOR, meu Deus, eu te louvarei para sempre!


Primeira Leitura:

Atos 9: 1–6 (7–20)

1 Saulo, porém, ainda respirando ameaças e morte contra os discípulos do Senhor, dirigiu-se ao sumo sacerdote 2 e pediu-lhe cartas para as sinagogas de Damasco, a fim de que, caso encontrasse alguns do Caminho, tanto homens como mulheres, os conduzisse presos a Jerusalém. 3 Mas, seguindo ele viagem e aproximando-se de Damasco, de repente, uma luz resplandecente, vinda do céu, o cercou. 4 E, caindo por terra, ouviu uma voz que lhe dizia: Saulo, Saulo, por que me persegues?

5 Ele perguntou: Quem és tu, Senhor?

O Senhor respondeu: Eu sou Jesus, a quem persegues; 6 mas levanta-te e entra na cidade; lá te será dito o que precisas fazer.

7 Os homens que viajavam com ele, ouvindo a voz, caíram emudecidos, mas não viram ninguém. 8 Saulo levantou-se do chão e, abrindo os olhos, não enxergava coisa alguma; então, guiado pela mão, foi conduzido a Damasco. 9 E ficou três dias sem enxergar, sem comer nem beber.

10 Havia em Damasco certo discípulo chamado Ananias. O Senhor lhe disse numa visão: Ananias!

Ele respondeu: Aqui estou, Senhor.

11 O Senhor lhe ordenou: Levanta-te, vai à rua chamada Direita e procura na casa de Judas um homem de Tarso chamado Saulo. Ele está orando agora 12 e viu, numa visão, um homem chamado Ananias entrar e impor-lhe as mãos, para que recuperasse a vista.

13 Ananias respondeu: Senhor, ouvi de muitos acerca desse homem, quantos males tem feito aos teus santos em Jerusalém; 14 e aqui está autorizado pelos principais sacerdotes para prender todos os que invocam o teu nome.

15 Mas, o Senhor lhe disse: Vai, porque ele é para mim um instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios, reis e israelitas; 16 pois eu lhe mostrarei quanto lhe é necessário sofrer pelo meu nome.

17 Ananias foi e entrou na casa e, impondo-lhe as mãos, disse: Saulo, irmão, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, enviou-me para que voltes a enxergar e fiques cheio do Espírito Santo. 18 Logo caíram-lhe dos olhos algo como umas escamas, e ele recuperou a vista. Então, levantando-se, foi batizado. 19 E, tendo-se alimentado, fortaleceu-se.

Saulo permaneceu alguns dias com os discípulos que estavam em Damasco. 20 E logo passou a pregar Jesus nas sinagogas, dizendo ser ele o Filho de Deus.**


Oferta

Pai misericordioso, nós oferecemos com alegria e gratidão aquilo que tu primeiro nos deste (nós mesmos, o nosso tempo e as nossas posses) sinais do teu amor misericordioso. Recebe-os por causa daquele que se ofereceu a nós: Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém! ***


Evangelho

João 21: 1–19

1 Depois disso, Jesus apareceu outra vez aos discípulos, junto ao mar de Tiberíades,* do seguinte modo: 2 Estavam juntos Simão Pedro, Tomé, chamado Dídimo, Natanael, de Caná da Galileia, os filhos de Zebedeu e outros dois dos seus discípulos. 3 E Simão Pedro lhes disse: Vou pescar. Eles responderam: Nós também vamos contigo. Então foram e entraram no barco, mas naquela noite nada apanharam.

4 Mas logo ao amanhecer, Jesus estava na praia. Todavia, os discípulos não sabiam que era ele.

5 Disse-lhes, então, Jesus: Filhos, não tendes nada para comer? Eles lhe responderam: Não.

6 E ele lhes disse: Lançai a rede à direita do barco, e achareis. Então lançaram a rede e não conseguiam puxá-la por causa da grande quantidade de peixes.

7 Então aquele discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: É o Senhor! Ouvindo Simão Pedro que era o Senhor, amarrou sua túnica à cintura, porque estava despido, e lançou-se ao mar. 8 Mas os outros discípulos vieram no barquinho, arrastando a rede com os peixes, porque estavam a cerca de apenas duzentos côvados* da terra. 9 Ao desembarcarem, viram ali pão e um peixe sobre brasas.

10 E Jesus lhes disse: Trazei alguns dos peixes que apanhastes.

11 Simão Pedro entrou no barco e puxou a rede para a terra, cheia de cento e cinquenta e três peixes grandes. Apesar de tantos peixes, a rede não se rompeu. 12 Jesus lhes disse: Vinde, comei. E nenhum dos discípulos ousava perguntar-lhe: Quem és tu? Pois sabiam que era o Senhor. 13 Jesus aproximou-se, tomou o pão e deu-o a eles, e fez o mesmo com o peixe. 14 Essa foi a terceira vez que Jesus apareceu aos seus discípulos, depois de ter ressuscitado dentre os mortos.

15 Depois de terem comido, Jesus perguntou a Simão Pedro: Simão, filho de João, tu me amas mais do que estes?

Ele respondeu: Sim, Senhor; tu sabes que te amo.

Jesus lhe disse: Cuida dos meus cordeiros.

16 E Jesus voltou a perguntar-lhe: Simão, filho de João, tu me amas?

Ele respondeu: Sim, Senhor; tu sabes que te amo.

Jesus lhe disse: Pastoreia as minhas ovelhas.

17 E pela terceira vez lhe perguntou: Simão, filho de João, tu me amas?

Pedro entristeceu-se por lhe ter perguntado pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas e sabes que te amo.

Jesus lhe disse: Cuida das minhas ovelhas.

18 Em verdade, em verdade te digo que, quando eras mais moço, te vestias a ti mesmo e andavas por onde querias. Mas, quando fores velho, estenderás as mãos e outro te vestirá e te levará para onde não queres ir. 19 Com isso ele se referiu ao tipo de morte com que Pedro glorificaria a Deus. E, havendo dito essas coisas, ordenou-lhe: Segue-me.


Envio

Apocalipse 5: 11–14

11 Então olhei e também ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono e dos seres viventes e dos anciãos cujo número era de milhares de milhares e de milhões de milhões. 12 Eles proclamavam em alta voz:

O Cordeiro que foi morto é digno 
de receber o poder, a riqueza, a sabedoria, 
a força, a honra, a glória e o louvor.

13 Também ouvi todas as criaturas que estão no céu, na terra, debaixo da terra, no mar e tudo que neles existem, dizerem:

Ao que está assentado no trono e ao Cordeiro 
sejam o louvor, a honra, a glória e o domínio 
pelos séculos dos séculos!

14 E os quatro seres viventes diziam: Amém. Os anciãos também se prostraram e adoraram.


Bênção

O Deus de paz, que pelo sangue da aliança eterna trouxe dentre os mortos nosso Senhor Jesus, o grande Pastor das ovelhas, vos aperfeiçoe em toda boa obra, para fazerdes a sua vontade, realizando em nós o que perante ele é agradável, por meio de Jesus Cristo, a quem seja a glória para todo o sempre. Amém****.


* Revised Common Lectionary
** Livro de Oração Comum Brasileiro
*** The Worship Sourcebook
**** Hb 13: 20–21
***** Arte:
http://diglib.library.vanderbilt.edu/act-imagelink.pl?RC=54208

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.