Na estação II

Com meu passo perdido
Ando em círculos
Sempre volto
Sem nunca ter partido

Sou o olho do furacão
E no turbilhão de despedidas
Das partidas eu sou o receio
E perdido no meio
Me parto em dois
Parto agora
E volto depois