A viagem para Espanha

Henry estava a bordo de um pequeno navio de transporte que levava muitos brigadistas, que estavam dispostos para lutar pelo ideal republicano, das mais variadas nacionalidades, como mexicanos, ingleses, franceses e até alguns exilados alemães, todos preparados para lutar, ou pelo menos achávamos na época.
 
 –Hey Henry, como está indo a viagem, fiquei sabendo que você nunca tinha estado antes em combate. — Veio uma voz no deck atrás de mim
 
 Era Johann, um alemão que tinha lutado no lado socialista durante os anos conturbados da Alemanha pós-crise, que embora tivéssemos um conhecimento limitado de seu passado, sabíamos que tinha lutado na grande guerra na Kriegsmarine, que odiava os nazistas quase tanto quanto eu odiava e que era tinha uns bons 40 anos (por isso foi apelidado de großvater pelos outros)
 
 –Pois é Johann, o pior disso é que venho de uma família com uma forte tradição de “contribuição nas fileiras da Rainha”. Meu próprio irmão já serviu como piloto em diversas guerras coloniais pela África. — Eu disse
 — Eu também já lutei muitas guerras coloniais, são horríveis, aquele calor saariano, em um lugar que eu minha opinião não nos pertencia contra um povo que lutava pela simples possibilidade de se alimentar. — Disse Johann
 –Você deveria descansar um pouco Henry, em alguns dias estaremos atracando em Bilbao e, confie em mim, lá não haverá muito descanso, ainda mais se tratando de uma guerra civil. — Disse Johann
 –Agora não estou muito cansado — Eu disse — mas obrigado pela dica.
 
 Faltava somente um dia para chegarmos ao porto, somente um dia, quando aconteceu aquela tragédia…

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.