Dias e noites na paulista

Uma noite quente na velha e agitada São Paulo, sentando em um parque observando o movimento da querida avenida Paulista onde milhares de pessoas das mais variadas sortes se misturam e dividem a mesma calçada, desde pais de família de terno e gravata, andando lentamente indo em direção ao estacionamento ou ao metrô, preocupados com as dividas e o sustento da família; passando á ativistas das mais diversas causas, disputando contra a pressa apenas um minuto de sua atenção ; chegando aos jovens que entre seus 15 aos 25, que sem dinheiro, buscam uma forma de se alcoolizar para uma madrugada apreciando a rua Augusta e seus entornos em suas mais diversas formas de se apresentar, desde o metaleiro de cabelo até o ombro, até o funkeiro de cabelo raspado, dividindo calçada com moradores de rua e vendedores ambulantes. Uma verdadeira Meca da diversidade paulistana.
 Esta avenida que já viu protestos que prometiam mudar o Brasil, já viu amores nascerem e acabarem, que vê todos os dias milhares de artistas que buscam reconhecimento nesta profusão de pessoas, gostos e artes, desde artesãos com suas pulseiras e anéis, passando por vendedores de livros independentes chegando às famosas bandas que inserem um pouco de musica ao cinza do cotidiano daqueles que ali transitam.
 Esta avenida traz consigo muitas mensagens; o abismo social brasileiro e ao mesmo tempo a sua diversidade. Ela acolhe a todos que à procuram, agora cabe à você decidir: Onde você se encaixa nela ?

One clap, two clap, three clap, forty?

By clapping more or less, you can signal to us which stories really stand out.